Eu não sou cachorro não!

Porque mais pessoas têm escolhido gatos como animais de estimação

Por Juliana Guzzo
06/05/19 - 15:11
Eu não sou cachorro não! Segundo um estudo do IBGE, população de gatos deve superar a de cães em 10 anos | Foto: Banco de Imagem

Longas jornadas de trabalho fora de casa, reclamações dos vizinhos por conta dos latidos, mais necessidades de cuidados e atenção. Esses são alguns dos motivos que levam um número cada vez maior de pessoas a não terem cães hoje.

Além dos problemas da vida moderna, é preciso estar bem atento às necessidades de cada animal. No caso de cães de raça, é possível pesquisar e ter um pouco de conhecimento dos hábitos e cuidados necessário que o animal terá.

É importante saber se seu espaço físico é adequado para o tamanho do animal que você pretende adotar, quais os cuidados que precisará ter com a saúde, o tempo que terá que dispor para os cuidados com a higiene e atenção (banho, escovação, passeios, brincadeiras, etc).

O médico veterinário Elias Emmerick faz recomendações muito importantes para quem pretende escolher um animal de estimação.

“Antes de adotar um animal, seja cão ou gato, a pessoa deve estar ciente de todas as despesas e cuidados que esses animais demandam e precisam. Despesas com ração, vacinação, vermifugação e cuidados como levar os animais para passear e interagir com eles. Sem esse tempo de atenção, o animal, pode apresentar quadros de estresse e desenvolver vários outros problemas de saúde. Se você mora em um apartamento, deve preferir um cão pequeno. Caso seu espaço seja pequeno e você não tenha tempo para passear com o animal, talvez a adoção de um gato seja mais recomendada. Os felinos são mais independentes e precisam de menos cuidados”, afirma Elias.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet), o Brasil tem a quarta maior população de animais domésticos do mundo e é o segundo país com mais cachorros da terra.

Os cães ainda dominam a preferência, tendo uma população de 52,2 milhões, enquanto os felinos são 22,1 milhões no país (dados de 2016). Mas, com cada vez mais pessoas morando em condomínios e passando grande parte do dia fora de casa, a opção por ter um gato como animal de estimação tem aumentado entre os brasileiros.

Fáceis de cuidar, mais silenciosos, com menos necessidade de atenção e precisando de pouco espaço físico para viver bem, os gatinhos têm ganhando os lares e os corações de muitas pessoas. Com mais informações sobre a espécie e menos crença em superstições em torno dos felinos, a população de gatos só cresce. Ainda, segundo o estudo do IBGE, em 10 anos essa população deve superar a de cães no Brasil.

Mariana e o seu gato, ChurrosMariana e o seu gato, Churros | Foto: Arquivo pessoal

Quem adotou um gatinho não se arrepende, como a administradora Mariana Correa, que mora em Cordeiro e trabalha em Nova Friburgo.

“Eu sempre amei cachorros, mas, por morar em apartamento e ficar o dia todo fora de casa, nunca adotei. Nos últimos meses senti muita necessidade de ter um bichinho em casa, mas nunca pensei em gatos, até que eu conheci o Churros. Foi amor à primeira vista. Gatos são muito independentes, então ele fica bem quando estou fora de casa e, diferente do que muitos falam, eles são extremamente limpos e muito carinhosos”, conta Mariana.