Começa nova fase da campanha de vacinação contra a gripe

Novos grupos foram incorporados ao público-alvo. Em Friburgo e Teresópolis, imunização será retomada nesta quarta, 24

Por Redação Multiplix
23/04/19 - 09:18
Começa nova fase da campanha de vacinação contra a gripe Em Friburgo e Teresópolis, em razão do feriadão, os postos de saúde vão iniciar a segunda fase na próxima quarta, 24 | Foto: Reprodução/Agência Brasil

A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe entrou em uma nova etapa na segunda-feira, 22 de abril, em todo o país. A primeira fase, que teve início em 10 de abril, vacinou crianças, gestantes e puérperas.

Agora, o Ministério da Saúde abriu a imunização ao restante do público-alvo. Com isso, podem também receber a vacina trabalhadores da saúde, povos indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

Nas cidades de Nova Friburgo e Teresópolis, na Região Serrana do Rio, em razão do feriadão, os postos ficaram fechados na segunda e nesta terça. Por isso, segundo o Poder Executivo das respectivas cidades, as unidades passarão a vacinar todos os grupos do público-alvo a partir de quarta-feira, 24.

De acordo com o ministério, 41,8 mil postos de vacinação estão à disposição da população no país. Além disso, 196,5 mil profissionais estão envolvidos, com a utilização de 21,5 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais.

A vacina contra a influenza é uma das medidas mais efetivas de prevenção em relação à doença e suas complicações. Para o subsecretário estadual de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe, a influenza é uma doença respiratória infecciosa de origem viral, que pode levar a complicações graves e a óbito. Segundo ele, as crianças, as gestantes e os adultos com 60 anos ou mais são os grupos mais vulneráveis, por isso precisam se proteger.

A doença

A influenza é uma doença sazonal, mais comum no inverno, que causa epidemias anuais, sendo que há anos com maior ou menor intensidade de circulação desse tipo de vírus e, consequentemente, maior ou menor número de casos e mortes.

No Brasil, devido a diferenças climáticas e geográficas, podem ocorrer diferentes intensidades de sazonalidade da influenza e em diferentes períodos nas unidades federadas. No caso específico do Amazonas, a circulação, de acordo com o ministério, segue o período sazonal da doença potencializado pelas chuvas e enchentes e consequente aglomeração de pessoas.

Até o fim de março, antes do lançamento da campanha, foram registrados 255 casos de influenza em todo o país, com 55 mortes. Até o momento, o subtipo predominante no país é influenza A H1N1, com 162 casos e 41 óbitos. O Amazonas foi o estado com mais casos registrados: 118 casos e 33 mortes. Por isso, a campanha foi antecipada no estado.