Portal Multiplix

Segundo turno: Conheça as propostas de campanha de Jair Bolsonaro

Candidato do PSL vai ao segundo turno defendendo bandeiras conservadoras

Por Matheus Oliveira - 09 de Outubro de 2018, 09:53
Segundo turno: Conheça as propostas de campanha de Jair Bolsonaro Foto: Divulgação/Redes Sociais

A partir desta terça-feira, 9 de outubro, até sexta-feira, dia 12, o Portal Multiplix publicará diariamente um resumo das principais propostas dos candidatos à Presidência da República e ao Governo do Estado do Rio de Janeiro. Por ordem, as matérias serão divulgadas de acordo com a posição do candidato no resultado do primeiro turno. Confira abaixo os dias de cada postulante:

- Terça-feira, 9 de outubro: Propostas de campanha de Jair Bolsonaro (PSL)

- Quarta-feira, 10 de outubro: Propostas de campanha de Fernando Haddad (PT)

- Quinta-feira, 11 de outubro: Propostas de campanha de Wilson Witzel (PSC)

- Sexta-feira, 12 de outubro: Propostas de campanha de Eduardo Paes (DEM)

Jair Bolsonaro (PSL)

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, chegou ao segundo turno da disputa ao Palácio do Planalto defendendo uma plataforma de governo conservadora e com diminuição dos poderes do Estado na economia, com liberalismo econômico e diminuição de ministérios.

Outras propostas que encontraram eco em seu eleitorado foram a da escola sem partido, a contrariedade ao que chama de “ideologia de gênero” e garantir o excludente de ilicitude para policias em operação, entre outras. Abaixo, o Portal Multiplix listou as principais propostas do capitão reformado que foi o mais votado no primeiro turno com 46,06% dos votos válidos.

Propostas de Jair Bolsonaro

- Segurança Pública:

  • Redirecionar a política de direitos humanos, priorizando a defesa das vítimas da violência;

  • Reformular o Estatuto do Desarmamento. Defende o direito à posse e porte de arma de fogo por todos;

  • Mudar o Código Penal para estabelecer a legítima defesa;

  • Reduzir a maioridade penal para 16 anos;

  • Acabar com a progressão de penas e as saídas temporárias;

  • Fim das audiências de custódia;

  • Apoiar penas duras para crimes de estupro, incluindo castração química voluntária em troca de redução da pena;

  • Classificar como terrorismo as invasões de propriedades rurais e urbanas no território brasileiro;

  • Garantir o excludente de ilicitude para o policial em operação — ou seja, que os policiais não sejam punidos se matarem alguém em confronto;

  • Extraditar o ex-ativista italiano Cesare Battisti, a quem chama de terrorista;

- Educação

  • Não admitir “ideologia de gênero” nas escolas. O candidato do PSL defende ainda educação "sem doutrinação e sexualização precoce";

  • Incluir no currículo escolar as disciplinas educação moral e cívica (EMC) e organização social e política brasileira (OSPB), que eram ensinadas durante a ditadura militar;

  • Propor a diminuição do percentual de vagas para cotas raciais. Defende cota social;

  • Ampliar o número de escolas militares, fechando parcerias com as redes municipais e estaduais. Em dois anos, ter um colégio militar em cada capital. Fazer o maior colégio militar do país em São Paulo, no Campo de Marte;

  • Defende a adoção da educação à distância no Ensino Fundamental, Médio e universitário, com aulas presenciais em provas ou aulas práticas, o que “ajuda a combater o marxismo";

- Saúde

  • Criar um Prontuário Eletrônico Nacional Interligado, fazendo com que postos, ambulatórios e hospitais se tornem informatizados com todos os dados do atendimento;

  • Para combater a mortalidade infantil, defende a melhoria do saneamento básico e a adoção de medidas preventivas de saúde para reduzir o número de prematuros — entre elas, estabelecer nos programas neonatais a visita ao dentista pelas gestantes;

  • Criar a carreira de Médico de Estado, para atender áreas carentes do Brasil;

  • Profissionais do programa Mais Médicos só poderão atuar se aprovados no Revalida;

  • Incluir profissionais de educação física no programa de Saúde da Família, para combater sedentarismo e obesidade;

- Direitos Humanos

  • Garantir a cada brasileiro uma renda igual ou superior ao que é atualmente pago pelo Bolsa Família;

  • Sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), o candidato afirma que "tem que ser rasgado e jogado na latrina. É um estímulo à vagabundagem e à malandragem infantil";

- Economia

  • Deixar para trás o comunismo e o socialismo e praticar o livre mercado;

  • Criar uma nova carteira de trabalho verde e amarela, em que o contrato individual prevaleça sobre a CLT. Os novos trabalhadores poderão optar, de forma voluntária, por um vínculo empregatício baseado na nova carteira de trabalho ou na tradicional (azul). Além disso, defende uma outra versão da CLT para o trabalhador rural;

  • Reduzir em 20% o volume da dívida pública por meio de privatizações, concessões e venda de propriedades imobiliárias da União;

  • Criar o Ministério da Economia, que emplacará funções realizadas pelos Ministérios da Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio, bem como a Secretaria Executiva do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos);

  • Eliminar o déficit público primário no primeiro ano de governo e convertê-lo em superávit no segundo ano;

  • Introduzir gradativamente o modelo de capitalização para a Previdência;

  • Defende privatizações. No caso da Petrobras, admite a privatização "se não tiver uma solução" a respeito da política de preço dos combustíveis;

  • Defende redução de impostos, é contra taxação de grandes fortunas e heranças e contra novas tributações a empresários;

  • Extinguir o Ministério das Cidades e "mandar o dinheiro diretamente para o município";

  • Tornar o Brasil um centro mundial de pesquisa e desenvolvimento em grafeno e nióbio;

- Corrupção

  • Encaminhar para aprovação do Congresso “As Dez Medidas Contra a Corrupção”, propostas pelo Ministério Público Federal;

  • Cortar ministérios para 15 e nomear pelo menos cinco generais como ministros;

  • Fazer com que recursos públicos sejam liberados automaticamente e sem intermediários para os prefeitos e governadores;

- Política Externa

  • Acabar com o chamado Foro de São Paulo;

  • Fazer negócio com o mundo todo, sem viés ideológico. Dar prioridade a relações comerciais com nações como Israel, não com a Venezuela;

  • Revogar a lei de imigração e fazer campo de refugiados, para lidar com a migração de venezuelanos para o Brasil;

  • Pretende mudar a embaixada brasileira em Israel de Tel-Aviv para Jerusalém, assim como fez Donald Trump. Pretende fechar a Embaixada da Autoridade Palestina no Brasil;

  • Reduzir alíquotas de importação e barreiras não tarifárias. Constituir novos acordos bilaterais internacionais;

  • Defende que o Brasil deixe o Acordo de Paris sobre o Clima;