MENU

Portal Multiplix

Novas variantes da Covid-19 são investigadas pela Secretaria de Estado de Saúde

Paciente com a variante do Reino Unido teria passado por Nova Friburgo

Por Redação Multiplix
18/02/21 - 13:18
Novas variantes da Covid-19 são investigadas pela Secretaria de Estado de Saúde Carlos Alberto Chaves, secretário de Estado de Saúde, durante a coletiva | Foto: Reprodução/Maurício Bazilio (SES/Gov-RJ)

Os cinco casos da nova variante da Covid-19 no estado do Rio de Janeiro estão sendo investigados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Durante a coletiva de imprensa realizada nessa quarta-feira, 17, a equipe da pasta confirmou que a cepa foi identificada pelos exames realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

O secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves, o secretário Municipal de Saúde do Rio, Daniel Soranz, e a equipe da Subsecretaria de Vigilância em Saúde da SES esclareceram que a chegada dessas mutações do vírus ao estado já era esperada e as investigações epidemiológicas dos cinco casos estão em andamento. Após a conclusão desse estudo será possível afirmar se essas variantes estão ou não em circulação no Rio de Janeiro.

“Fomos surpreendidos, na tarde dessa terça-feira, com a informação na imprensa. O ideal é que uma nota técnica tivesse sido elaborada, envolvendo os três entes federativos, para o melhor esclarecimento a todos e o repasse de informações precisas sobre a investigação epidemiológica destes casos. Contudo, o que importa é que a SES está trabalhando, de forma ética e técnica, e mantendo contato direto com os 92 municípios para intensificar as medidas preventivas e de rastreio de contágio. E reforço que a população deve manter os cuidados recomendados, como o uso de máscara e álcool 70, assim como o distanciamento social”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

Ainda durante a coletiva, ao explicar sobre as variantes e os casos nos pacientes, se foram contraídos no próprio município ou importados, o superintendente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Mário Sérgio Ribeiro, falou sobre a cepa oriunda do Reino Unido em uma mulher que possivelmente teria passado por Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio.

“É importante que nós tenhamos tempo para fazer essa investigação para darmos a informação precisa. A informação distorcida é um problema. De onde são esses pacientes? Eles tiveram algum vínculo (com outra pessoa)? Por exemplo, a paciente do Reino Unido, ela passou por Friburgo e a vigilância local não conseguiu informação. Não conseguiu tirar informação da família, a família simplesmente se recusou. Então não é uma coisa simples fazer uma investigação, buscar detalhamento desses casos”, destacou o superintendente.

Variantes

De acordo com a SES, até o momento, foram identificadas no estado do Rio de Janeiro duas variantes.

  • VOC 202012/01, linhagem B.1.1.7, notificada pelas autoridades do Reino Unido à Organização Mundial da Saúde
  • Variante P.1, linhagem B.1.1.28, considerada um tipo de mutação brasileira

Mundialmente, há outra variante em investigação, sem casos confirmados no estado.

“A chegada de variantes da Covid-19 já era esperada, inclusive, uma nota técnica sobre o tema já havia sido enviada aos municípios, no início do mês, com recomendações. O que precisa ser destacado é que não se pode ainda afirmar que os casos são autóctones (contraídos no próprio município) ou importados. Sendo assim, a identificação dessas mutações não pode ser associada com a transferência de pacientes de outros estados”, esclareceu Mário Sérgio.

Casos mais graves

A SES ainda destacou que estudos apontam que, neste momento, não há evidência científica de que as novas cepas identificadas no estado do Rio de Janeiro provoquem casos mais graves da Covid-19. No entanto, já se sabe que essas variantes se disseminam com maior facilidade.

“A avaliação de cada um dos casos de forma específica, abrangendo histórico de viagem e outras informações, vai possibilitar definir se temos a efetiva circulação do vírus no estado ou se são casos isolados. A partir disso, poderemos avaliar a adequação das ações, caso haja necessidade. A princípio, a mutação que deu origem à nova linhagem não interfere na eficácia das vacinas que estão sendo aplicadas na população, o que está sendo monitorado pelos fabricantes”, pontuou o médico da Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) Alexandre Chieppe.

Organizado pelo Ministério da Saúde, o estado do Rio de Janeiro já participa de um programa de monitoramento de variantes da Covid-19. Há quatro semanas, tem sido feito o envio de amostras para análise. Das 12 enviadas até o momento para o laboratório contratado em Minas Gerais, ainda não há resultados.

“Também está em andamento o sequenciamento genético das amostras colhidas nos 58 pacientes oriundos do Amazonas e dos cinco vindos de Rondônia com Covid-19. Estamos atuando para que seja dada a esses pacientes a melhor assistência, minimizando riscos aos profissionais da saúde e à população fluminense”, disse a subsecretária de Vigilância em Saúde da SES, Cláudia Mello.

O Portal Multiplix aguarda resposta da SES sobre o estado de saúde da paciente que teria passado por Nova Friburgo e detalhes sobre a passagem dela pelo município. Além disso, a equipe de reportagem também solicitou nota a prefeitura sobre o caso.

Veja outras notícias da Região Serrana do Rio no Portal Multiplix.


É proibida a reprodução total ou parcial dos conteúdos do Portal Multiplix, por qualquer meio, salvo prévia autorização por escrito.
TV Multiplix
TV Multiplix Comunicado de manutenção TV Multiplix Comunicado de manutenção
A TV Multiplix conta com conteúdos exclusivos sobre o interior do estado do Rio de Janeiro. São filmes, séries, reportagens, programas e muito mais, para assistir quando e onde quiser.