Setembro registra quase 400 queimadas em cidades da Região Serrana

Corpo de Bombeiros de Nova Friburgo e Teresópolis tiveram de combater incêndios de grandes proporções no nono mês do ano

Por Matheus Oliveira
04/10/19 - 09:34
Setembro registra quase 400 queimadas em cidades da Região Serrana Queimadas atingiram diversos locais da serra fluminense no mês passado | Foto: Reprodução/Portal Multiplix

O mês de setembro foi de tempo seco, muito calor e, consequentemente, um número atípico de queimadas em cidades da Região Serrana. Nas áreas de abrangência dos batalhões de Corpo de Bombeiros de Nova Friburgo e Teresópolis, somados, foram registradas 397 queimadas.

Na área de abrangência do 6º GBM (Nova Friburgo), segundo o comandante, coronel Thiago Alecrim, foram registrados 252 focos de fogo em vegetação registrados no nono mês do ano. As cidades de abrangência do 6ºGBM são Cordeiro, Cachoeira de Macacu, Cantagalo e Bom Jardim.

Já o comandante do 16ºGBM (Teresópolis), coronel Fábio Gonçalves, informou que foram registrados 145 casos de fogo em vegetação. O Corpo de Bombeiros da cidade serrana cobre os municípios de Teresópolis e do Carmo.

Cabe destacar que queimadas de grandes proporções atingiram os bairros de Varginha e Amparo, em Nova Friburgo, na Região Serrana. Segundo o Corpo de Bombeiros, o foco da queimada ligava as duas localidades do município e foi controlado na tarde do último dia 13 de setembro.

Além da queimada em Varginha e Amparo, outros bairros como Granja Spinelli, Chácara do Paraíso e Campo do Coelho tiveram focos de incêndio no mesmo dia. No dia 12 de setembro, uma queimada atingiu uma área de vegetação próxima à residência no km 15 da RJ-130, no bairro Imbiú, em Teresópolis.

Vale lembrar que, no mês de agosto, os números de queimadas já eram altos: ocorreram 95 registros de fogo em vegetação, quase quatro vezes mais que o número de casos do ano passado, que foi de 24 em toda a área de cobertura do 6ºGBM. Já em Teresópolis, durante agosto deste ano, ocorreram 25 casos de incêndio em vegetação. No ano passado, foram registradas 18 ocorrências deste tipo. O comandante do 16º GBM, Fábio Gonçalves, afirma que 80% dos incêndios ocorrem por ação humana.