Homem morre em trilha de moto entre Teresópolis e Petrópolis

Rogério Marcolino teve um mal súbito e morreu durante a travessia da trilha da Tapeira

Por Matheus Oliveira - 07 de Janeiro de 2019, 12:30
Homem morre em trilha de moto entre Teresópolis e Petrópolis Rogério Veca Marcolino tinha experiência em realizar trilhas de moto no estado do Rio | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um homem de 42 anos morreu enquanto fazia, de moto, o percurso da Ilha da Tapeira, no último domingo, dia 6 de janeiro. Segundo o Corpo de Bombeiros, a razão do falecimento foi um mal súbito sofrido por Rogério Veca Marcolino.

Segundo informações do 16º GBM (Teresópolis), a corporação foi acionada por volta das 15h de domingo pelo companheiro de trilha de Rogério. A primeira equipe chegou ao local e iniciou as buscas, mas já encontrou o homem sem vida. Os bombeiros ainda destacaram que toda a operação durou sete horas em razão da dificuldade de descer o corpo pela trilha. O corpo do trilheiro chegou ao Instituto Médico Legal de Teresópolis por volta de 2h30, segundo os militares.

Apesar de ter sido uma morte natural, o fato deixa uma pergunta no ar: quais cuidados são necessários para realizar uma trilha, seja caminhando ou de moto?

O 16º GBM informa, que caso a pessoa possua algum problema, é importante avisar alguém próximo e nunca fazer a trilha sozinho.

Já, de acordo com William Maia, trilheiro, e que apresenta um programa de TV especializado no tema, a melhor época do ano para subir montanhas é no inverno, pois a “incidência de chuvas é menor, com céu mais limpo e pode-se observar melhor o visual”.

 Ele destaca, ainda, que, para subir uma trilha, é necessário estar com o físico em dia. “Nas trilhas mais pesadas é importante ter o preparo físico em dia e sempre estar acompanhado, nunca sozinho, de preferência com algum guia ou nativo da localidade. É importante usar roupas leves, sempre com tênis, alimentos leves e muita água. E o tempo de caminhada varia de acordo com o trilheiro e com a distância a ser percorrida”, declara. 

Vale lembrar que, em agosto de 2018, um jovem estudante francês, Marc Meslin, 22 anos, perdeu-se durante a travessia da Trilha Açu-Sino, popularmente conhecida como “Travessia Petrópolis- Teresópolis”, no Parque Nacional da Serra dos Órgãos, sendo encontrado quatro dias depois.