Carnavalesco cantagalense leva Estácio de Sá de volta ao grupo Especial do Rio

Carreira de Tarcísio Zanon começou em uma escola de samba de Cantagalo chamada Unidos da Floresta

Por Sara Schuabb
07/03/19 - 15:31
Carnavalesco cantagalense leva Estácio de Sá de volta ao grupo Especial do Rio Tarcísio Zanon, autor do enredo “A fé que emerge das águas”, da escola de samba Estácio de Sá, do Rio de Janeiro | Foto: Divulgação/Luiz Eduardo (GRES Estácio de Sá)

A escola de samba Estácio de Sá, que desfilou na Série A do Rio de Janeiro, subiu neste Carnaval para o Grupo Especial, vencendo com 270 pontos totais nas notas dos jurados. Mas, o que muitos não sabem é que o carnavalesco Tarcísio Zanon, de 31 anos, autor do enredo “A fé que emerge das águas”, com a representação do Cristo Negro, é de Cantagalo, município da Região Serrana do estado do Rio de Janeiro.

Zanon, que também foi coroado como o melhor carnavalesco na série A no Prêmio de Plumas e Paetês Cultural, conta que sua carreira artística começou quando era muito jovem, em uma escola de samba chamada Unidos da Floresta, de um distrito cantagalense. Diz que aos nove anos começou a ser carnavalesco e, quando jovem, mudou-se para Campos onde pode estudar Design. Posteriormente, conta que fez pós-graduação em Carnaval e Figurino, na Universidade Veiga de Almeida, no Rio, onde mora atualmente e se envolve com a arte do Carnaval.

“Minha inspiração vem de grandes artistas. Tenho descendência italiana, e como referência gosto dos artistas renascentistas, como Leonardo Da Vinci, além dos grandes nomes brasileiros, como Joãozinho Trinta e Paulo Barros. A arte do Carnaval é uma arte nova, mas cada vez mais ganha reconhecimento. Ser artista no Brasil é difícil, mas é um caminho dentro do Carnaval sério e com muita responsabilidade”, enfatiza.

Quanto à sua carreira na Estácio, ele diz que começou pelas mãos do carnavalesco Jackson Vasconcelos, que hoje está à frente da Paraíso do Tuiuti, que foi vice-campeã do Carnaval em 2018. E até agora são seis anos de escola, com dois títulos conquistados.

“A Estácio de Sá é uma grande escola, que merece estar no Grupo Especial. Ela é uma grande família. O presidente é um pai, as baianas são mães. Ela merece estar lá e vou lutar para que ela permaneça no Grupo Especial”, diz.

À direita da foto, o carnavalesco Tarcísio Zanon junto a outros integrantes da Estácio de SáÀ direita da foto, o carnavalesco Tarcísio Zanon junto a outros integrantes da Estácio de Sá | Foto: Divulgação/Luiz Eduardo (GRES Estácio de Sá)

Sobre a relação com Cantagalo

Ao falar sobre sua cidade natal, o carnavalesco ressalta conterrâneos que se destacaram na literatura e TV e a relevância do município em sua infância.

“Ser cantagalense é uma honra para mim, por ser da terra de Euclides da Cunha, de Rogéria, de Luma de Oliveira, por ser um lugar totalmente incrível em que vivi uma infância lúdica maravilhosa. Tudo o que sei sobre o mundo e a arte aprendi em Santa Rita da Floresta e aprendi a ser criança, e minha infância levo para minha vida.”