Nova Friburgo e Teresópolis voltam a gerar empregos em fevereiro

No Brasil, foram 173 mil novas vagas abertas, o que alavancou o resultado nas cidades da Região Serrana

Por Matheus Oliveira
25/03/19 - 17:33
Nova Friburgo e Teresópolis voltam a gerar empregos em fevereiro Vagas de empregos formais cresceram em todo o Brasil no mês de fevereiro | Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

Após um mês de janeiro de retração, a economia brasileira apresentou dados positivos na criação de empregos, de acordo com os dados de fevereiro do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Na Região Serrana do Rio os números acompanharam o crescimento geral. Em Nova Friburgo, 1.881 trabalhadores foram contratados e 1.390 postos de trabalho foram fechados, gerando um saldo de 491 novos empregos. Em janeiro deste ano, Nova Friburgo criou 1.296 vagas de emprego enquanto 1.357 profissionais foram demitidos no mesmo período.

Na cidade de Teresópolis, 1.152 vagas foram criadas e 1.070 fechadas, com um saldo de 82 novos postos de emprego. No mês anterior, foram admitidos 1.079 trabalhadores e 1.097 oportunidades foram encerradas.

No total, o Brasil teve saldo positivo de 173.139 carteiras assinadas no segundo mês do ano. Este foi o melhor fevereiro do quesito desde 2014. Em janeiro, foram criados 34,3 mil formais em todo o Brasil, 56% a menos que no mesmo período de 2018, de acordo com o Caged. Nos dois meses do ano, o saldo de geração de empregos formais chegou a 211.474. Nos 12 meses, terminados em fevereiro, foram criados 575.226 postos de trabalho.

Divisão por atividade

A nível nacional, na divisão por ramos de atividade, sete dos oito setores pesquisados criaram empregos formais em novembro: serviços (112.412), indústria de transformação (33.472 postos), administração pública (11.395), construção civil (11.097 postos), comércio (5.990 postos), extrativismo mineral (985 postos) e serviços industriais de utilidade pública, categoria que engloba energia e saneamento (865 postos). Houve queda no nível de emprego da agropecuária (-3.077).

O salário médio de admissão em fevereiro ficou em R$ 1.559,08 e o de desligamento em R$ 1.718,79. Em termos reais (descontada a inflação) houve queda de 4,13% no salário de contratação e de 0,2% no de demissão.