Friburgo: moradores do Maria Teresa se reúnem com prefeito para buscar solução para pedra que ameaça casas

Segundo moradores, Executivo vai buscar recursos para iniciar projeto de contenção no local

Por Matheus Oliveira
15/03/19 - 13:15
Friburgo: moradores do Maria Teresa se reúnem com prefeito para buscar solução para pedra que ameaça casas Pedra que ameaça rolar no Parque Maria Teresa fez Defesa Civil interditar 15 imóveis | Foto: Vitorino Iezze Medeiros

Buscando solucionar a situação da pedra que ameaça rolar no bairro Parque Maria Teresa, moradores da localidade reuniram-se com o prefeito de Nova Friburgo, Renato Bravo (PP), na manhã da última quinta-feira, dia 14 de março. No encontro, estavam presentes os secretários de Governo, Gilberto Salarini, Obras, Jeferson Aragão, e Meio Ambiente, Ricardo Cocarelli. Na ocasião, os moradores relataram a situação do local e a dificuldade em deixar suas casas.

Na pauta, foi discutida a possibilidade de retorno dos moradores às residências interditadas, o que foi negado. Também foi apresentado pelo secretário de Obras um projeto para realizar um trabalho de contenção no local e o custo estimado para a obra. O município não tem o total necessário para a intervenção, mas para ajudar com esses custos, uma verba da prefeitura, de R$500 mil, que seria destinada para a desapropriação de um terreno e construção de uma quadra, foi realocada para esta finalidade.

Na reunião, ficou definido que o Executivo irá buscar os recursos restantes para realizar as intervenções necessárias no local, mas a prefeitura não informou como.

Ainda na reunião, ficou acertado que na próxima semana o secretário de Obras irá novamente ao local com uma equipe do setor de Geomática da secretaria de Meio Ambiente para medir a pedra e iniciar o projeto.

Entenda o caso

Conforme noticiado pelo Portal Multiplix no dia 19 de fevereiro, a Defesa Civil de Nova Friburgo interditou 15 imóveis na rua Zuleica Ramos de Valença, no bairro Parque Maria Teresa em razão do risco iminente de deslocamento de uma pedra que está acima das residências. O local já foi avaliado por geólogos do Departamento de Recursos Minerais (DRM) sobre os riscos que a pedra causava aos moradores.

O presidente da Associação dos Moradores do Parque Maria Teresa, Emilio Alonso, revela que já existe um processo na Justiça desde 2012 para intimar o município a realizar obras no local.

“A erosão do local ocorre desde a tragédia de 2011 e foi aumentando. Entramos com o processo para exigir providências, mas o poder público alega que não tem recursos para realizar as obras. Enquanto isso, os moradores estão procurando um local para ficar, mas alguns passaram a noite em suas residências. A prefeitura ofereceu o aluguel social, porém nenhuma outra ação está sendo realizado. Da nossa parte, seguiremos cobrando celeridade para o começo das intervenções no bairro”, declara Emilio.

Na época, a prefeitura estabeleceu que os moradores afetados e que são proprietários dos imóveis receberiam aluguel social. O valor do benefício seria de R$ 700,00 ao longo de 12 meses, podendo ser prorrogado por mais 12, caso os locais ainda não estejam em segurança.