Lei estadual determina incentivo à pesquisa científica em instituições de ensino

Legislação é de autoria de ex-deputado friburguense em parceria com estudante de Sumidouro

Por Luisa Machado
17/07/19 - 16:41
Lei estadual determina incentivo à pesquisa científica em instituições de ensino Nova lei estadual obriga governo do Rio à investir em ciência e tecnologia nas escolas | Foto: Banco de Imagem

Com o objetivo de valorizar a importância da ciência nas instituições de ensino, a lei 8.451/19 entrou em vigor no dia 8 de julho, após sanção do governador Wilson Witzel (PSC).

A legislação é de autoria do ex-deputado estadual friburguense Wanderson Nogueira, em parceria com a estudante de enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (Ufrj), Wini de Moura Miguel, de 20 anos, que participou do Parlamento Juvenil em 2015, aos 16 anos, representando o município do Sumidouro. Para Wini, a sensação é de alegria e dever cumprido.

“Eu venho de uma cidade em que a produção científica é praticamente nula, não há incentivo, então o Parlamento Juvenil veio como uma oportunidade de mudar essa realidade. Quando eu propus a lei, em 2015, eu já sabia que a ciência era importante. Hoje em dia, dentro da universidade, como estudante de enfermagem, tenho uma visão muito mais ampliada de que a ciência é fundamental, é primordial. Eu espero que a lei consiga provocar a diferença e que faça uma mudança significativa na vida do jovem brasileiro”, afirma.

A nova norma obriga o governo estadual a disponibilizar capacitação em ciência e tecnologia para estudantes de ensino fundamental e médio, e também para professores. Além disso, a legislação prevê que o executivo incentive a criação da Olimpíada Estadual de Ciências.

O ex-deputado Wanderson Nogueira celebra a sanção da lei, mas diz que é preciso vê-la aplicada, na prática. “Mais importante do que ter a lei em vigor, é perceber se o executivo, de fato, a está colocando pra funcionar, através da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e de todas as instituições que têm ligação com a pesquisa científica no estado do Rio”, afirma.

Nova legislação que visa incentivar a ciência no estado do Rio foi sancionada no início de julhoNova legislação que visa incentivar a ciência no estado do Rio foi sancionada no início de julho | Foto: Banco de Imagem

Em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, o Instituto Politécnico do Estado do Rio de Janeiro (IPRJ) é um campus da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e atua na formação de profissionais de nível superior na área de ciência e tecnologia, oferecendo cursos de mestrado e doutorado voltados para o setor.

Damiano Militão, professor de engenharia mecânica na Uerj e coordenador do IPRJ, elogia a nova legislação e afirma que a valorização da ciência nas instituições de ensino, especialmente na educação de base, é essencial.

“O conhecimento só se produz e multiplica como benefício para a humanidade através do investimento nas instituições de ensino, que é onde todo patrimônio cultural e tecnológico é gerado. Cada centavo gasto com a educação, ciência e pesquisa, na verdade é investido na única forma de patrimônio gerado que nunca será retirado ou esgotado: o conhecimento!”