Ginecomastia

Um transtorno para o paciente masculino

Por Glauco Rocha
07/08/19 - 16:33

Entende-se como ginecomastia a hipertrofia (aumento) da glândula mamária masculina.

Nos dias de hoje, com a maior preocupação com a estética e o corpo, podemos compreender porque o aumento da glândula mamária pode ser um pesadelo para o paciente masculino, expondo o adolescente, ou adulto a situações de constrangimentos, bullyings e zombarias no seu dia a dia, seja na escola, trabalho, na pratica de esportes, às vezes até no ambiente familiar.

Tal alteração da anatomia ocorre desde a antiguidade, havendo relatos deste aumento glandular no Faraó Seti no ano de 1290 antes de cristo. Galeno , famoso médico e anatomista romano de origem grega, foi o 1° a utilizar o termo ginecomastia cuja tradução do grego significa “mama como mulher”(gineco = mulher; mastia = mama) É condição benigna, mais frequente na mama masculina, sendo bilateral na maioria dos casos, mas podendo, em torno de 20% dos casos, ser unilateral.

Esta alteração na anatomia do homem é considerada patológica, causada por alterações na relação hormonal estrogênio/androgênio que podem ser fisiológicas, secundárias a doenças endócrinas, ingestão de substancias ou medicamentos esteroides.

A incidência entre adolescentes de 14 e 15 anos pode chegar a 65%, mas pode também ocorrer em adultos e após a andropausa.

O tratamento cirúrgico, geralmente efetuado pelo cirurgião plástico, é indicado quando causa dor, constrangimentos ou desconforto emocional. O homem que apresenta essa patologia sente-se pouco à vontade na praia, piscina, ao usar roupas mais justas, ou durante a prática de exercícios físicos, marginalizando-se socialmente com importante queda da qualidade de vida e autoestima.

Outro fator nos dias atuais que tem contribuído muito para o aumento de casos de ginecomastia é o grande número de obesos, com acúmulo adiposo na região peitoral, e que, mesmo após uma cirurgia bariátrica, não se livram desta condição, pois o excesso e flacidez de pele estarão presentes.

Portanto, é um quadro preocupante para os homens na atualidade, que se sentem então obrigados a buscar, através de um procedimento cirúrgico, uma solução para a sua angustia.

Existem, dentro da cirurgia plástica, inúmeras técnicas cirúrgicas, em virtude da complexidade dos casos, pois a hipertrofia mamária masculina pode ser hormonal, pode ser associada ao acúmulo adiposo peitoral e também pode simultaneamente exigir correção de excesso e flacidez de pele.

Deste modo as abordagens cirúrgicas visam a diminuição dos volumes, mas pode ser necessário lipoaspiração e a diminuição da flacidez cutânea, o que resulta em cicatrizes mais extensas.


O Portal Multiplix não endossa, aprova ou reprova as opiniões e posições expressadas nas colunas. Os textos publicados são de exclusiva responsabilidade de seus autores independentes.