Nova Friburgo terá protestos após caso de mulheres queimadas por homem

No caso, que ocorreu em Mury, na última segunda-feira, duas mulheres foram trancadas em casa que foi incendiada pelo ex-namorado de uma das vítimas

Por Redação Multiplix
10/10/19 - 09:56
Nova Friburgo terá protestos após caso de mulheres queimadas por homem Caso de feminicídio repercutiu amplamente em Nova Friburgo | Foto: Arquivo/Frank Martins

Três protestos foram convocados para os próximos dias em diferentes locais de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, após o caso de duas mulheres queimadas por um homem, Rodrigo Maroti, de 30 anos, na última segunda-feira, 7.

As manifestações, organizadas por amigos das vítimas, estão programadas para acontecer no distrito de São Pedro da Serra, nesta quinta-feira, 10 de outubro, às 17h, em frente à quadra esportiva do distrito. Em Lumiar, o ato será no dia 13, com concentração às 17h, na praça principal. No Centro de Nova Friburgo, o protesto foi convocado para o dia 18 de outubro, na praça Dermeval Barbosa Moreira, às 15h.

Na quarta-feira, uma das vítimas, Daniela Mousinho, de 47 anos, veio a óbito. É a primeira vítima de feminicídio na cidade em 2019. Ela era amiga da ex-namorada do autor do crime, Alessandra Vaz dos Santos, também de 47 anos, que se encontra hospitalizada em estado grave. Rodrigo Maroti está preso no presídio de Benfica, no Rio de Janeiro.

Números de violência contra a mulher

A violência pode me manifestar, principalmente, nas formas física, quando os danos são corporais; sexual, quando envolve qualquer indicador lascivo; e psicológica, quando o homem faz uso de ameaças e táticas para diminuir a vítima.

O Instituto de Segurança Pública (ISP) do Rio de Janeiro classifica como violência contra a mulher atos de ameaça, assédio sexual, ato obsceno, calúnia, constrangimento ilegal, dano, difamação, injúria, lesão corporal e violação de domicílio.

Em Nova Friburgo, que foi classificada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) como a terceira cidade mais segura do Rio, os dados mais recentes do ISP são de 2018, e mostram 1.602 registros de delitos contra mulheres, feitos na 151ª Delegacia de Polícia (DP). Além disso, em um ano, 50 mulheres fizeram registros de casos de estupro.

Cartaz convoca para protestos em Nova FriburgoCartaz convoca para protestos em Nova Friburgo | Arte: Reprodução/Internet