Morte de mulher que fazia trilha em Lumiar, em Nova Friburgo, evidencia riscos desse tipo de atividade

Listamos algumas instruções para você evitar acidentes ao se aventurar em locais afastados

Por Matheus Oliveira
10/09/18 - 15:52
Morte de mulher que fazia trilha em Lumiar, em Nova Friburgo, evidencia riscos desse tipo de atividade Realizar caminhadas, escaladas ou trilhas em montanhas requer planejamento e cuidados especiais | Foto: Amanda Tinoco/Arquivo

A morte de uma mulher de 39 anos enquanto fazia uma trilha em Lumiar, em Nova Friburgo, no último sábado, dia 8 de setembro, acendeu um alerta: para realizar este tipo de atividade é necessário tomar alguns cuidados. Mas como se preparar para uma trilha? Nesta matéria, o Portal Multiplix lista para os leitores, dicas de como se preparar para realizar uma caminhada, escalada ou trilha.

A mulher estava realizando uma trilha na localidade de Benfica quando teve um mal súbito. Ela foi resgatada de helicóptero, mas acabou não resistindo e morreu. A mulher foi velada em Nova Friburgo e enterrada no município de Cambuci, no último domingo, 9.

Segundo o Corpo de Bombeiros, as atividades práticas de escalada em rocha, rapel, caminhada em trilhas, em matas, florestas e montanhas possuem alto potencial de risco. Praticá-las, em qualquer uma de suas modalidades, implica assumir o risco de ocorrência de lesões permanentes, acidentes graves ou mesmo fatais. Os riscos envolvidos nas atividades, especialmente na escalada em rocha, no montanhismo e nos deslocamentos em ambiente de matas, florestas e montanha. Os bombeiros informam ainda que as atividades devem contar ainda com preparo físico, psicológico e o conhecimento adequado das diversas técnicas.

Riscos

De acordo com a Corporação, os principais riscos para esta prática são:

  • Ataques de animais, incluindo os peçonhentos como cobras, aranhas, escorpiões, insetos, abelhas e marimbondos, podendo causar alergias e outras reações;

  • Exposição a condições meteorológicas desfavoráveis e adversas, tais como: frio, calor extremo, tempestades, chuva, vento forte, deslizamentos, trombas d’água, raios, e às consequências diretas dessas condições, por exemplo: insolação, hipertermia, hipotermia, exaustão, desidratação, hipoglicemia, rabdomiólise, dentre outras;

  •  Realização de atividades em terrenos escorregadios, instáveis, expostos e de grande altura;

  • Quedas de objetos: pedras, galhos, equipamentos, entre outros;

  • Falha dos equipamentos e das proteções fixas ou móveis por mau uso, má colocação, desgaste, degradação das condições do material, ou quaisquer outras razões;

  • Comportamentos inadequados, inapropriados, negligentes ou imprudentes, de outras pessoas ou seu próprio, que colocam em risco a segurança e a vida de todos os participantes das atividades;

  • Perigos subjetivos, tais como: medo, erro de julgamento, falha na avaliação dos riscos, cansaço, entre outros;

  • Torções, luxações, arranhões, fraturas de ossos e lesões em geral;

  • Estresse físico e psicológico; Quedas e impactos;

  • Morte.

Dicas para evitar acidentes em trilhas

Ao iniciar uma trilha é importante planejar a atividade e ter um acompanhamento profissional. Para evitar acidentes durante o passeio, as principais dicas são.

  • Procure conhecer o local através de mapas e informações de amigos e moradores da região; 

  • Lembre-se que, para fazer caminhada em matas e florestas não é necessário ser um atleta, mas você precisa estar bem de saúde e respeitar suas limitações;

  • Faça um desenho do seu roteiro para não se perder no meio da mata;

  • Obtenha, com antecedência, todas as informações meteorológicas, dentre as quais: a temperatura do dia e previsão de chuva, para não ser surpreendido;

  • Deixe avisado na sua casa ou na casa de amigos, o local da caminhada, com quem você vai, qual o dia e hora previstos para o retorno, e o número do seu telefone celular;

  • Se você for principiante, deve fazer caminhada em trilhas com terrenos menos abruptos, sem muitas subidas e descidas íngremes;

  • Não pense que por já ter feito uma determinada trilha você a conhece bem. Pode haver surpresas;

  • Durante as trilhas é importante tomar cuidado para não se perder, tenha muita atenção nas bifurcações, principalmente se a mata for fechada;

  • Deve-se conhecer como é o percurso, o grau de dificuldade e o tempo de duração. Dessa forma, evite iniciar uma caminhada com percurso prolongado à tarde, pois no interior da floresta escurece mais cedo do que nos cumes das montanhas e você poderá ficar no meio do trajeto na escuridão;

  • É recomendável utilizar tênis confortável e caminhar em grupos de no mínimo três a cinco pessoas. Os mais lentos devem ir à frente e os outros tendem a seguir o ritmo, sem ultrapassá-los;

  • Nas descidas muito íngremes é melhor descer de frente para o morro, apoiando-se em árvores ou em raízes, olhando cuidadosamente para ver onde pisa. Para evitar quedas nas subidas, preste atenção no pé que serve de apoio;

  • Alguns itens a seguir, são importantes que sejam conduzidos por uma pessoa durante uma caminhada em uma trilha. São eles: um recipiente para água (no mínimo 2 litros); uma mochila pequena para levar lanches, frutas e barras de cereal; estojo de primeiros socorros; uma lanterna (com pilha extra); sacos plásticos para depositar o lixo e telefone celular.

Dicas para evitar acidentes em montanhas

  • Respeitar a sinalização. Não entrar em locais onde há avisos de risco de acidente e ou perigo de morte, sem utilizar EPI específico de escalada;

  • Planejar a rota de escalada antecipadamente;

  • Manter a ética do montanhismo, evitando alterar e ou introduzir novos grampos nas vias de escalada, sem autorização, procurando cumprir as normas de manejo da UC;

  • Utilizar equipamento específico para montanhismo e devidamente certificado;

  • Mantenha uma manutenção constante dos equipamentos específicos de escalada;

  • Respeitar o limite da sua particularidade biológica, evitando excessos sem preparo técnico específico, aumentando a margem para acidentes.