Moradores da Fazenda Ermitage, em Teresópolis, protestam devido a condições precárias de acesso ao local

População cobra ainda a construção de um viaduto e uma passarela suspensa. Condomínio foi construído para abrigar famílias que foram atingidas pelas chuvas de 2011

Por Matheus Oliveira
30/01/19 - 12:34

Um grupo de moradores da Fazenda Ermitage, em Teresópolis, realizou um protesto na última segunda-feira, dia 28 de janeiro, em razão das condições de um túnel de acesso para pedestres embaixo da rodovia de acesso ao bairro. Cobram, ainda, a construção de um viaduto e uma passarela suspensa no local.

Segundo os moradores, o túnel virou passagem obrigatória para os residentes da localidade, pois a Concessionária Rio Teresópolis (CRT) - responsável pela rodovia BR-116, onde fica a fazenda Ermitage - cercou o bairro com grades, gerando insegurança para os transeuntes, além do túnel estar em condições precárias.

“Infelizmente no Brasil, e principalmente em Teresópolis, a tendência é que soluções paliativas se tornem definitivas. Foi assim com o túnel construído na Fazenda Ermitage para a travessia de pedestres. O problema é que a solução definitiva, que seria a construção de um viaduto e uma passarela suspensa, nunca veio e nem se fala mais no assunto. E o túnel, que mais parece um buraco de tatu ou uma passagem daquelas de filme de terror, virou definitivo e agora passagem obrigatória de dia ou de noite para os milhares de moradores. A CRT cercou o "bairro" com grades e os moradores agora são obrigados a passar pelo tal buraco, mesmo quando chove e ele alaga. Atenção autoridades competentes! Vamos olhar com mais carinho pelo nosso povo!”, afirma publicação postadas nas redes sociais por moradores do bairro.

De acordo com a moradora Eliane dos Santos, 58 anos, que foi vítima da tragédia de 2011 e perdeu sua casa que ficava localizada no bairro Campo Grande, a ideia é garantir o direito de ir e vir dos moradores do local e deu detalhes da atual situação do túnel.

“O governo fechou a nossa entrada, alegando prevenção a acidentes, e agora somos obrigados a passar pelo túnel que é úmido e quando chove fica tudo alagado e temos que percorrer uma grande distância. Existem muitos idosos e pessoas com cadeiras de rodas que têm dificuldades para percorrer esse caminho. Nossos deslocamentos ficam prejudicados porque nos finais de semana temos apenas 3 viagens de ônibus no sábado e nenhuma no domingo. Para nos dirigirmos ao Centro precisamos solicitar um serviço de aplicativo que custa em média R$ 50,00!”, afirma, reiterando que não foi dado, pelo Governo do Estado, prazo para a construção do viaduto.

Ela ainda relatou que os moradores pretendem realizar um novo protesto no próximo sábado, dia 2 de fevereiro, a partir das 10h.

“Iremos realizar um protesto no próximo sábado, de forma pacífica, com todos de mãos dadas e fechando a rodovia. Temos que buscar nossos direitos, pois sofremos com a tragédia, perdemos nossas casas e ainda temos de passar por isso.”, conclui.

Empreendimento Parque Ermitage foi construído para atender 1.600 famílias de Teresópolis que foram atingidas pelas chuvas de 2011Empreendimento Parque Ermitage foi construído para atender 1.600 famílias de Teresópolis que foram atingidas pelas chuvas de 2011 | Foto: Reprodução/Governo do Estado do Rio de Janeiro

O Empreendimento Parque Ermitage, sob responsabilidade do Instituto Estadual do Ambiente - Inea foi construído para atender 1.600 famílias do município de Teresópolis que foram atingidas pelas chuvas de 2011. O condomínio está situado às margens da Estrada BR-116, Rio-Bahia, a 1,5 km do centro da cidade, em um vale sem ocupação, não existindo fatores de risco ou insalubridade em relação a enchentes e deslizamentos de terra.

A região conta com serviços públicos como instituições de ensino, Unidade Básica de Saúde com o Programa de Saúde da Família - PSF, Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), além de equipamentos de Esporte, Cultura e Lazer como praças, campos de futebol, entre outros.

Em contato por e-mail, o Inea informou que "enviará uma equipe técnica ao local, a fim de avaliar a situação para as devidas providências."