Jovem teresopolitano ganha bolsa em programa científico após medalha em Olimpíada de Matemática

Miguel Ramos, de 14 anos, conquistou o bronze na Obmep e fala da chance de integrar o Programa Institucional de Iniciação Científica

Por Matheus Oliveira
17/09/19 - 15:40
Jovem teresopolitano ganha bolsa em programa científico após medalha em Olimpíada de Matemática Miguel Ramos pretende seguir carreira na área de exatas após o bronze na Obmep | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Um jovem de Teresópolis se destacando no mundo da matemática e levando o nome da cidade serrana para todo o estado. Assim pode ser resumida a história do jovem Miguel Ramos, que conquistou a medalha de bronze na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) no ano passado e, neste ano, ganhou uma bolsa para integrar o Programa Institucional de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O jovem teresopolitano, que estuda em uma instituição estadual do município da serra fluminense e mora no bairro Albuquerque, conta que realizou a prova pela primeira vez há dois anos e nem passou da primeira fase. Em 2018, ele decidiu fazer a prova da Obmep novamente e chegou à fase final conquistando o terceiro lugar no geral. Ele revela que sempre teve facilidade em aprender matemática.

“Eu sempre gostei e tive facilidade em aprender matemática. Na escola, sempre tirei boas notas. Por isso, não me vejo seguindo carreira em outra área que não seja a matemática”, disse.

Ele revela ainda que, após a conquista, soube através de sua irmã da possibilidade de se inscrever no programa do CNPq. Após cumprir os trâmites, ele iniciou no projeto voltado para conteúdos científicos.

“No programa, fazemos exercícios de raciocínio lógico com conteúdo voltado para a área científica, aprimorando nosso conhecimento. Além disso, faço um curso online e uma vez por mês temos uma avaliação”, destaca.

Os medalhistas da OBMEP são premiados em três categorias - Ouro, Prata e Bronze - nos três níveis de ensino (6º ou 7º ano do Ensino Fundamental, 8º ou 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio). As bolsas aos ganhadores são de R$ 100 reais mensais para os alunos selecionados no Programa Institucional de Iniciação Científica e de R$ 400 reais, quando ingressam na universidade.

No início de setembro, o Governo do Estado anunciou apoio aos bolsistas do Rio de Janeiro que fazem parte do programa. O anúncio, no Palácio Guanabara, aconteceu durante o lançamento do programa “InovAÇÃO”, outra iniciativa voltada para o desenvolvimento tecnológico no estado.

“Esta é mais uma forma que o Governo do Estado do Rio encontrou para apoiar o Governo Federal, que está com dificuldade de pagar as bolsas dos jovens que integram a iniciação científica. São jovens que estão começando a vida como pesquisadores. Ceifar estas pesquisas não seria aceitável e, por isso, fizemos um esforço gigantesco e vamos bancar, através da Faperj e da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, as 400 bolsas do Rio de Janeiro. Isso mostra a importância que o Governo do Rio dá à pesquisa”, afirmou o governador Wilson Witzel (PSC).