Cachoeiras de Macacu e região devem ter quase R$ 250 milhões em investimentos nos próximos anos

Levantamento da Firjan aponta projetos como a ampliação do complexo industrial da Ambev e a colocação de pontes sobre o Rio Bengalas, em Friburgo

Por Redação Multiplix
03/06/19 - 12:55
Cachoeiras de Macacu e região devem ter quase R$ 250 milhões em investimentos nos próximos anos Complexo industrial da Ambev, em Cachoeiras de Macacu, deve receber maior parte dos investimentos | Foto: Reprodução/Google

Um estudo feito pela Firjan aponta que há 111 grandes investimentos confirmados em território fluminense para os próximos anos. São cerca R$ 162,3 bilhões em projetos espalhados por todas as regiões do estado e diversos setores. Na Região Centro-Norte estão previstos mais de R$ 249,3 milhões em investimentos.

O estudo levou em conta apenas os projetos em andamento ou a serem iniciados. Destaque para a Indústria de Transformação, com R$ 217,0 milhões em projetos confirmados. Os maiores projetos envolvem investimentos no complexo industrial da Ambev, em Cachoeiras de Macacu, contemplando o desenvolvimento de uma nova linha de produção e a construção de quatro pontes e três passarelas no Rio Bengalas, em Nova Friburgo, sob a responsabilidade do Ministério das Cidades.

Outros investimentos estão previstos para drenagem urbana, canalização e dragagem na bacia do Rio Bengalas, no âmbito do Programa Avançar, de iniciativa do Governo Federal.

Sumidouro possui quatro obras com investimentos confirmados que são a pavimentação de estrada vicinal em Batatal, com recursos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; pavimentação e drenagem de vias em perímetro urbano, com apoio do Ministério das Cidades; além dos investimentos apoiados pelo Ministério da Saúde, que são a reforma de Unidade de Saúde de Atenção Especializada e Ampliação da Unidade de Saúde da Família no distrito de Campinas.

Investimentos no estado do Rio de Janeiro

Entre todos os investimentos confirmados para o estado do Rio, 24 contam com participação direta de empresas estrangeiras, representando R$ 59 bilhões (36% do previsto para o estado). Isso evidencia a volta do Rio de Janeiro ao radar de investidores internacionais.

O mapa de investimentos também revela a retomada do mercado de Petróleo e Gás Natural (P&G), estratégico para o estado do Rio e para o país. Em projetos confirmados, são R$ 133,2 bilhões (82% do total). Além da Petrobras, Shell, Total e outras concessionárias de exploração e produção, outros agentes contam com projetos no setor, como a MODEC, responsável pela construção de unidades estacionárias de produção para os campos de Sépia e Libra. As mudanças regulatórias dos últimos anos contribuíram para recolocar o Brasil na rota internacional de investimentos no setor, com impactos diretos no desenvolvimento socioeconômico fluminense e nacional.

Além do setor de petróleo e gás, o Rio possui importantes investimentos confirmados em Indústria de Transformação, Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura. No setor industrial (R$ 19,9 bilhões), destaque para o PROSUB – Programa de Desenvolvimento de Submarinos da Marinha do Brasil. O maior projeto nacional da Indústria de Defesa contempla, além da construção de complexo industrial, a produção de quatro submarinos convencionais e um de propulsão nuclear até 2029. O primeiro submarino convencional construído pela Itaguaí Construções Navais (ICN) foi lançado em dezembro de 2018.

Em Desenvolvimento Urbano (R$ 5,5 bilhões), a maioria dos investimentos são públicos, com foco em urbanização, contenção de encostas e saneamento básico.

Em Infraestrutura (R$ 3,1 bilhões), destaque para investimentos no Porto de Itaguaí para ampliação da capacidade do Terminal de Granéis Sólidos (Tecar) e modernização do terminal de contêineres (Sepetiba Tecon). Em rodovias, há investimentos na BR-101 para implantação de terceira faixa no trecho Niterói-Manilha, além da pavimentação da Estrada Municipal Santa Tereza, em Macaé, que acessa a área industrial do Parque dos Tubos.

Segundo o estudo, após quatro anos de recessão, os investimentos mapeados apontam reversão do quadro econômico no estado. O desenvolvimento desses projetos possui potencial de geração de empregos diretos e indiretos em sua implantação e ao longo de toda sua vida útil, com oportunidades para todos os níveis de qualificação.

Investimentos potenciais

Além dos investimentos confirmados, foi mapeado um conjunto de investimentos potenciais no estado, porém com sua realização ainda está indefinida por questões como como falta de licenciamento, financiamento ou terreno. São R$ 20,3 bilhões em oportunidades para investidores públicos e privados, a maior parcela em Infraestrutura, voltada à melhoria da logística do estado.

O maior desses projetos em fase de estudos é a ferrovia Rio-Vitória (EF-118), que irá aumentar a integração entre os sistemas portuários do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Terminais portuários também são planejados em Macaé e Maricá (Ponta Negra). Entre as obras rodoviárias, destaque para o Contorno de Campos dos Goytacazes, na BR-101, e a nova pista de descida da Serra das Araras, na BR-116.

Competitividade e atração de investimentos

As oportunidades mapeadas podem ser potencializadas, caso o estado avance em aspectos essenciais de competitividade, como infraestrutura e segurança pública. O Mapa do Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro 2016-2025, iniciativa da Firjan em conjunto com mais de mil empresários, aponta o caminho para o desenvolvimento socioeconômico fluminense.

Um dos aspectos fundamentais para esse processo é a segurança pública. A Sondagem Industrial de Segurança do Rio de Janeiro, realizada em 2018 pela Firjan, evidenciou a relevância do fator para a atração de investimentos. Na pesquisa, 74% dos industriais fluminenses declararam que suas decisões de localização empresarial são afetadas pela insegurança, percentual superior ao registrado para a região Sudeste (60%).

Quanto à Infraestrutura, o estado tem potencial para ser um hub logístico, pela sua centralidade e variedade de modais. Em um raio de 500 km do Rio de Janeiro estão mais de 50% do PIB nacional, ligados ao estado por rodovias, ferrovias, portos e aeroportos, que demandam investimentos para se tornarem mais competitivos, disputando cargas com outros estados e sendo fator de decisão para localização empresarial.

Ainda de acordo com a Firjan, também é importante que sejam aprovadas reformas de caráter estrutural, como a da Previdência e a tributária, necessárias para a recuperação fiscal do país, com impactos diretos no aumento da confiança dos investidores e consequente estímulo à geração de emprego e renda.