MENU

Portal Multiplix

Por que filmes como “Vingadores: Ultimato” fazem tanto sucesso?

Especialista enumera motivos que fazem filmes de heróis e antigos contos de fadas baterem recordes de bilheteria em todo o mundo

Por Matheus Oliveira
24/04/19 - 10:07
Por que filmes como “Vingadores: Ultimato” fazem tanto sucesso? Vingadores: Ultimato é o mais novo filme sobre super-herói que deve bater recorde de bilheteria | Foto: Divulgação

Quem não se lembra do lema Hakuna Matata do clássico da Disney, “O Rei Leão”, lançado em 1994, e corre para o cinema para ver outras clássicas animações revividas em forma de live-action (filme)? Quem também não foi em busca das telonas durante os 10 anos do Universo Cinematográfico da Marvel com os filmes inspirados em quadrinhos que datam dos anos 40, com aventuras de heróis como Capitão América, Hulk, Thor e Homem de Ferro? A DC Comics também ganhou espaço, com clássicas adaptações de Batman e Superman. Tais histórias, mesmo tão antigas, seguem superando recordes de bilheterias e levando cada vez mais gerações às salas de cinema de todo o mundo. A pergunta que muitos se fazem é: quais razões deixam esses clássicos ainda em evidência?

Segundo dados do Cine Show, a empresa responsável por gerenciar os cinemas das cidades de Nova Friburgo e Teresópolis, na Região Serrana do Rio, nos últimos três anos, o filme de maior bilheteria foi Capitã Marvel, que estreou nas telonas em março de 2019. Em seguida, aparecem outros filmes de destaque: Como treinar Seu Dragão 3 (2º), Aquaman (5º), Animais Fantásticos e Onde Habitam, da mesma franquia de Harry Potter (6º), além de Jurassic World, Deadpool 2, Vingadores – Guerra Infinita, Star Wars, Liga da Justiça, Pantera Negra, Homem Aranha: De Volta ao lar, A Bela e A Fera, entre outros.

Tamanho sucesso faz com que o cineasta e pedagogo Leo Arturius aponte a massificação e a fórmula como motivos para que essas obras se mantenham em destaque.

“A Disney encontrou seu padrão de realização. São filmes de família e com pensamento positivo. A maioria são de classificação indicativa livre ou até 13 anos. Seu grande poder de investimento também ajuda a alcançar grandes públicos. Além de criar roteiros que seguem as cartilhas da suposta fórmula do sucesso, de fácil compreensão. Esse estilo de realização já fazia parte nas animações e foram implementadas nos filmes de super-heróis. Assim, a Disney consegue atingir o público infantil com suas animações, o adolescente, que vive a cultura pop, e o adulto, que cresceu com seus preferidos super-heróis e agora estão dispostos a alimentar seus fetiches com pessoas reais de collant colorido”, destaca.

Para Leo, o fato de existir uma espécie de “fórmula de sucesso” não impede que as produtoras tentem estilos diferentes, sem deixar a inovação de lado. Mesmo assim, de acordo com o cineasta, o momento é de sede por filmes que retratem os salvadores da pátria. “Neste momento histórico, mais do que nunca, o mundo vive um período em que o ideal de super-herói deixa de ser uma fantasia para se tornar real. Supostamente, necessitamos de heróis e os filmes suprem essa carência do mundo real”, avalia.

Mas, até que ponto essa tendência de reproduzir grandes clássicos e apostar em super-heróis deve continuar? Para o cineasta, quando esses filmes deixarem de obter grandes lucros e não gerarem tanto interesse, passarão a ser mais pontuais.

Na época dos filmes de Western só chegava esse tipo nas salas de cinema, há relatos em jornais da época de que ninguém aguentava mais. O mesmo cenário se repete: só temos filmes de super-heróis nas salas comerciais e muitos não aguentam mais. Uma hora vai acabar, ou mesmo se tornar pontual. Não dá para apontar quando, mas estes filmes têm como objetivo obter grandes bilheterias e no momento em que começar a diminuir a renda eles param.

Questionado sobre qual filme do gênero ele considera o melhor, Leo aponta uma conhecida adaptação dos quadrinhos do Homem-Morcego.

“Batman: O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan, em 2008. Um filme que diz muito sobre cidade, organização política, o fascismo na figura do super-herói e suas consequências como o surgimento da anarquia. E ainda temos o Batman com reflexão sobre seu papel no combate ao crime”, conclui.

Vale lembrar que o próximo filme de super-heróis a estrear nos cinemas é Vingadores: Ultimato, que fecha a história do grupo da Marvel em sua luta para salvar o universo e derrotar Thanos. O filme vai estrear na próxima quinta-feira, dia 25 de abril.

Divulgação do filme "Vingadores: Ultimato", que estreia nesta quinta, 25 de abrilDivulgação do filme "Vingadores: Ultimato", que estreia nesta quinta, 25 de abril | Foto: Divulgação