MENU

Portal Multiplix

Qual é o destino do prédio do antigo Colégio Nova Friburgo?

Imóvel abrigou tradicional instituição de ensino por mais de 25 anos e também já foi sede do Instituto de Pesquisa da UERJ. De propriedade da Fundação Getúlio Vargas, prédio já esteve em processo de venda, que não foi concluída

Por Luisa Machado
27/11/19 - 12:36
Qual é o destino do prédio do antigo Colégio Nova Friburgo? Prédio estava em negociação para venda, em 2019, mas processo não foi concluído | Foto: Divulgação/FGV

Uma das maiores lembranças de quem vivia em Nova Friburgo entre as décadas de 50 e 70 é o Colégio Nova Friburgo. O imóvel com arquitetura neoclássica e terreno com mais de 1.600.000 m², e que pertence à Fundação Getúlio Vargas (FGV), está localizado no bairro Vila Nova, na cidade da Região Serrana.

Décadas depois, a pergunta que não quer calar é: qual é o futuro do prédio, tão marcante na memória do povo friburguense?

De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, houve uma tentativa de venda do imóvel para a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ), que administra o Serviço Social do Comércio – Sesc, mas sem sucesso.

“A FGV recebeu proposta firme de compra por uma instituição ilibada e que daria uma destinação que respeitava as características do prédio, mas a operação acabou não sendo efetivada. Atualmente, a ideia se encontra suspensa por decisão da FGV até revogação de condições impostas pela Curadoria de Fundações (da própria instituição) para a destinação dos recursos auferidos com a venda", explica nota oficial enviada ao Portal Multiplix pela Fundação Getúlio Vargas.

Atualmente, quem arca com o cuidado com o imóvel também é a FGV. Ainda na nota oficial encaminhada pela instituição, consta que “a fundação presta, às suas expensas, manutenção no prédio, o que exige elevados gastos, inclusive para serviços de segurança e limpeza”.

Um passado que permanece na memória de muitos

O Colégio Nova Friburgo funcionou no local de 1950 a 1977 e, até hoje, a história da unidade de ensino é lembrada com carinho por quem ali passou. É o caso de Afonso Chermont, que estudou na instituição por sete anos e, hoje, é membro da Associação de Ex-alunos.

“Educação no mais amplo sentido. Além, estava instalado em prédios de rara beleza arquitetônica e o clima ameno o ano todo, completava todos os requisitos de uma grande instituição de ensino médio. Não havia em todo o Brasil nada que se comparasse ao colégio quando funcionando na sua plenitude”, comenta, saudoso, o ex-aluno.

O diretor da Associação de Ex-alunos do Colégio Nova Friburgo, Ronaldo Lo Bianco, também conta momentos inesquecíveis vividos no espaço, principalmente, voltadas para o esporte.

“Certa vez a seleção brasileira campeã do mundial de 1962 veio a Nova Friburgo e nós, alunos do colégio, tivemos a oportunidade de encontrar com os craques. Garrincha, Nilton Santos, Didi. Foi inesquecível”, relembra.

Vista da parte de trás do prédio principal do antigo Colégio Nova FriburgoVista da parte de trás do prédio principal do antigo Colégio Nova Friburgo | Foto: Divulgação/Fundação Getúlio Vargas

Após dez anos sem funcionar, a partir de 1987, o espaço foi reaberto como um instituto politécnico e um centro de ciências. Em 2005, a UERJ se instalou no local, onde permaneceu até 2011, quando houve a tragédia climática, que afetou também o terreno do imóvel e fez com que a universidade mudasse de sede.

Nos dias de hoje, o prédio encontra-se sem serventia, mas o que não falta, por parte de quem fez parte da história no local, são planos para o futuro do espaço.

“Deveria abrigar algo que estivesse relacionado à educação. Não me afasto da ideia da concepção de um bairro ecológico. Os prédios centrais deveriam ser preservados em todos os seus aspectos e tudo que fosse agora inserido no local tivesse materiais que foram observados os mais rígidos padrões de sustentabilidade. Adicionalmente ao bairro, uma escola de que mantivesse um curso de Educação Ambiental”, projeta Afonso.

Enquanto uma solução oficial não é encontrada, resta à população de Nova Friburgo aguardar por um desfecho.

Vista geral da entrada e do prédio principal Vista geral da entrada e do prédio principal | Foto: Divulgação/Fundação Getúlio Vargas