Fornalha! Janeiro termina com calor acima da média nas cidades da Região Serrana

Temperaturas chegaram a 35,4º C em Santa Maria Madalena. O volume de chuva ficou abaixo da média do mês

Por Matheus Oliveira
31/01/19 - 12:18
Fornalha! Janeiro termina com calor acima da média nas cidades da Região Serrana Sensação térmica piora ainda mais a percepção do calor intenso das últimas semanas | Foto: Banco de Imagem

O primeiro mês do ano de 2019 foi de muito calor e pouca chuva, com temperaturas que não condizem com o clima ameno da Região Serrana neste período, castigando, especialmente no período da tarde, cidades como Nova Friburgo, Teresópolis, Bom Jardim, Cordeiro e Duas Barras.

Esse fenômeno tem explicação, pois, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), as temperaturas de todo o estado do Rio de Janeiro, incluindo a Região Serrana, estão acima da média em janeiro, o que significa que ficou mais quente que o previsto.

Segundo o órgão, até esta quinta-feira, 31, o dia mais quente do ano registrado em Teresópolis foi em 8 de janeiro, quando foi registrado, no bairro Várzea, 33,6º C. Já o Parque Nacional da Serra dos Órgãos registrou 30,9º C no dia 15. Na estação de Salinas, em Nova Friburgo, a temperatura mais quente registrada foi de 30,2º C, também no dia 8 de janeiro. Em Santa Maria Madalena foram registrados 35,4º C em 16 de janeiro.

Nas duas principais cidades da área de cobertura do Portal Multiplix, os dados históricos apontam que as temperaturas médias mínima e máxima para este mês são de 17º C e 27º C em Nova Friburgo, enquanto em Teresópolis ficam entre 16º C e 27º C.

Chuva segue na contramão e está abaixo do normal

E se o sol não dá trégua, o índice pluviométrico (quantidade de milímetros de chuva prevista para um determinado período) passa longe da média estimada para este mês de acordo com o Inmet.

Para se ter uma ideia, a média história de chuva para janeiro em Nova Friburgo, por exemplo, é de 232 milímetros. É o segundo mês mais chuvoso, atrás apenas de dezembro. O Inmet ainda não divulgou o dado consolidado do mês, mas, de acordo com o Climatempo, a chuva, no período na cidade, até agora, representa 48% do normal.

Teresópolis está em situação um pouco melhor, mas também inferior à média: choveu até o momento cerca de 80% do habitual para esta época, cuja média histórica é de 282 mm.

O que está causando essa situação?

Calor intenso foi a tônica do primeiro mês de 2019Calor intenso foi a tônica do primeiro mês de 2019 | Foto: João Luccas Oliveira

De acordo com informações do Climatempo, o que está causando essa situação atípica é, além da presença de uma enorme massa de ar quente e úmido sobre grande parte do país, a existência da Alta Subtropical do Atlântico Sul (Asas), perto da costa do Sudeste, sistema responsável por bloquear a chegada de frentes frias e pela diminuição das áreas de instabilidade, o que reduz a frequência das tradicionais chuvas de verão.

Outro fenômeno que está ajudando a deixar o tempo muito quente na Região Sudeste do Brasil é o El Niño, que está em processo de formação. O sistema aquece às águas do Oceano Pacífico e afeta o clima na América do Sul.

Por isso, segundo o Climatempo, as temperaturas máximas estão até 5 graus acima da média e abrangem uma área maior em relação aos anos anteriores.