Portal Multiplix

Você já ouviu falar em fast fashion? Saiba o que é e quais são os seus prós e contras

Tendência de moda aumenta o consumismo e acelera a produção de matéria-prima que prejudica o meio ambiente

Por Matheus Oliveira - 31 de Outubro de 2018, 14:47
Você já ouviu falar em fast fashion? Saiba o que é e quais são os seus prós e contras Marcas de renome mundial adotam a fast fashion para evitar que as peças fiquem muito tempo em seus estoques . | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Você já ouviu falar em ‘fast fashion’? Este é um termo utilizado para designar uma tendência da moda, disseminada em países da Europa a partir dos anos 70, em que produtos são produzidos, consumidos e descartados com uma grande velocidade, de forma rápida. Entretanto, tal ação resulta no descarte de inúmeras peças e acaba gerando danos ao meio ambiente.

A moda fast fashion vem atingindo grandes marcas europeias como Zara, Benetton, H&M, Forever 21, Bershka e GAP. No Brasil, tentando evitar que acessórios fiquem encalhados, grandes redes varejistas do setor têxtil como C&A, Renner, Riachuelo, Marisa e Hering adotaram a tendência.

O sistema de fast fashion exige coleções compactas, modelos novos o tempo todo e retirar das araras o que não vende e repor com o que sai mais das prateleiras, ao estilo de um consumismo instantâneo. Assim, nem todos os tamanhos, cores ou números ficam disponíveis, trabalhando a fragmentação e gerando uma sensação de exclusividade para cada mercado.

Entretanto, essa tendência gera um número maior de material para a produção das peças como por exemplo, de 70 milhões de barris de petróleo utilizados para a produção de poliéster – que possui carbono em sua composição-, a fibra mais utilizada em roupas em geral e que leva 200 anos para se decompor. As peças de Fast Fashion, são usadas por pouco tempo e emitem 400% mais carbono anualmente. Para produzir fibras têxteis é preciso desmatar, utilizar fertilizantes, agrotóxicos, extrair petróleo e transportar, entre outras formas de poluição.

Caso essas peças não sejam todas vendidas, elas entram em liquidação. Se mesmo assim seguirem encalhadas, são enviadas para outros países e entram como novidades nas coleções Primavera/Verão ou Outono/Inverno. Este processo dura no máximo seis meses.

Para tentar diminuir o impacto ambiental do consumo, algumas marcas vêm apostando em viés sustentável, aumentando o tempo de utilização das peças. No caso do poliéster, as marcas vêm dando preferência às fibras naturais para se manter a possibilidade de reciclagem.

Recentemente, marcas de luxo, como como Donna Karan, Versace, Michael Kors e Gucci, aboliram a pele de sua produção, que também vem atingindo o varejo. Ultimamente, diversas empresas estão tentando desacelerar a produção têxtil e aviamentos, gerando assim, uma diminuição de danos ao meio ambiente.