Nova Friburgo: Polícia Civil investiga furtos em série na Avenida Alberto Braune

Delegado confirmou que oito casos foram registrados na 151ª DP e realiza diligências para apurar o caso

Por Matheus Oliveira
03/05/19 - 09:20
Nova Friburgo: Polícia Civil investiga furtos em série na Avenida Alberto Braune Oito casos de furtos com a mesma abordagem foram registrados na delegacia de Nova Friburgo | Foto: Amanda Tinoco/Arquivo

Oito casos de furtos em série são investigados pela Polícia Civil de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio. Os crimes, segundo a instituição, teriam sido cometidos na Avenida Alberto Braune, no Centro da cidade, entre os dias 29 e 30 de abril, e as mulheres seriam as principais vítimas.

Um áudio divulgado e amplamente compartilhado nas redes sociais na quinta-feira, 2 de maio, aponta a suposta forma de atuar dos suspeitos. De acordo com o áudio, mulheres bem vestidas abordavam as vítimas e realizavam os furtos. Na mensagem, ainda é informado que 32 mulheres teriam sido assaltadas. A Polícia Civil negou a quantidade de furtos em nota e confirmou que, na verdade, oito casos foram registrados na 151ª DP (Nova Friburgo) e ela está realizando diligências para apurar o caso.

“Está circulando nas redes sociais e grupos de WhatsApp que “32 mulheres foram assaltadas” nos dias 29 e 30 de abril (segunda e terça). Na verdade, ocorreram oito furtos a transeunte (subtração sem violência) em diversos pontos da Avenida Alberto Braune, todos com ação semelhante por parte dos suspeitos. Os policiais da 151ª DP já estão diligenciando com o objetivo de identificar os autores desses furtos. As divulgações de informações incompletas e divorciadas da realidade, além de causarem danos à sociedade, geram pânico no seio da coletividade e grave prejuízo à investigação policial”, diz a nota assinada pelo delegado Henrique Pessoa.

De acordo com o porta-voz do 11º Batalhão de Polícia Militar, Major Mattos, a PM não foi acionada em nenhum momento sobre estes casos.

“Não recebemos chamado de nenhuma dessas supostas vítimas”, afirma.