Leite, o vilão da vez: mas, afinal, faz bem ou mal?

Fonte de cálcio, leite vem sendo abolido das dietas atuais, mas há especialistas que ainda garantem seu valor nutricional em uma alimentação balanceada

Por Priscila Franco
13/06/18 - 17:28
Leite, o vilão da vez: mas, afinal, faz bem ou mal? Leite. | Banco de imagens

Muçarela, parmesão, iogurte, queijo minas, queijo coalho, creme de leite e leite condensado. Na frase anterior você foi apresentado a sete bons argumentos para ter o leite em alta conta de delícias. Sim, todas industrializadas! Talvez por isso mesmo o alimento se tornou um temido vilão nos filmes de terror nutricional. Especialistas, no entanto, dizem que é para você não perder o sono à toa, mesmo que com algumas calorias acima da meta diária: o leite está absolvido de algumas acusações. Além do mais, esta é uma matéria para defender o leite nosso de cada dia.

“Seres humanos são os únicos que consomem leite de outros animais”, é um argumento recorrente entre nutricionistas ou entusiastas que pregam contra o consumo de leite. Além de ignorarem a grande vantagem evolutiva dos polegares opositores, que nos permitiram ordenhar, os propagadores da máxima parecem não se dar conta de outros grandes feitos, como voar mecanicamente ou beber café expresso. Mas sua argumentação principal parece um pouco menos falaciosa, e se sustenta em um suposto potencial alergênico do alimento. O leite estimularia a produção de catarro, sendo contraindicado especialmente para pessoas com problemas respiratórios. Com alguma pesquisa, porém, é possível perceber que isso tampouco se justifica. Não existe qualquer comprovação científica que sustente a relação entre o consumo de leite e a formação de muco nas vias aéreas, como explica o pediatra Carlos González.

“Como o catarro é um mecanismo de defesa das vias respiratórias contra as infecções, isso poderia ser considerado até mesmo uma vantagem do leite. No entanto, vários estudos realizados com um grupo placebo mostraram que isso não acontece. O leite não produz muco”, esclarece.Se o leite não provoca infecções respiratórias por um lado, por outro é indicado na prevenção da síndrome metabólica, na redução da pressão arterial e na prevenção do diabetes tipo 2, segundo o Dr. Drauzio Varella. O leite é também excelente fonte de cálcio, colocando todos os vegetais de folhas escuras no chinelo no que tange à biodisponibilidade.

Se isso não foi suficiente para convencê-lo a relaxar e mergulhar uma ou duas colheres de achocolatado em um copo de leite quentinho, fique sabendo, ainda, que o leite pode ajudar a melhorar suas noites de sono: ele contém triptofano, que o organismo converte em serotonina – um hormônio natural que ajuda a adormecer. As reservas ao consumo do leite ficam por conta do intenso processo industrial a que é submetido até chegar numa caixinha, latinha ou sacolinha à sua mesa.