Jhennifer Alves bate recorde sul-americano e conquista vaga no Pan de 2019

Nadadora friburguense fez o quarto melhor tempo do mundo nos 50m peito. Nos 100m peito, garantiu vaga nos Jogos Pan-Americanos de Lima

Por Matheus Oliveira
22/04/19 - 11:52
Jhennifer Alves bate recorde sul-americano e conquista vaga no Pan de 2019 A atleta friburguense Jhennifer Alves conquistou bons resultados no troféu Maria Lenk | Foto: Matheus Paiva/SSPress/CBDA

Recorde, vitória, pódio e a classificação para a disputa dos Jogos Pan-Americanos. Assim pode ser resumida a participação da nadadora friburguense, Jhennifer Alves, no Troféu Maria Lenk, equivalente ao Brasileiro da modalidade. A atleta de Nova Friburgo defende as cores do clube paulista Pinheiros, que conquistou a competição.

Na prova dos 50 metros peito, Jhennifer bateu o recorde sul-americano da prova nas eliminatórias, com tempo de 30s50. Na final, ela melhorou o seu tempo e fez 30s47, o quarto melhor tempo do mundo neste ano. Vale lembrar que os 50m peito não é uma prova olímpica e também não integra o programa do Pan desta temporada.

“Fiz o quarto melhor tempo do mundo nesta prova batendo o recorde sul-americano que já era meu”, afirmou Jhennifer.

Já na prova dos 100m peito, a nadadora de Nova Friburgo, ficou na segunda posição, com o tempo de 1min08s27, atrás apenas da argentina Macarena Ceballos, que representava o Flamengo. Em 2016, a atleta do Pinheiros venceu a prova. Assim, Jhennifer se garantiu nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, que serão disputados entre 26 de julho e 11 de agosto.

Neste ano, a atleta iniciou a temporada treinando por um mês na Universidade de Virginia Tech, nos Estados Unidos, com o renomado treinador espanhol Sérgio López, que ajudou a revelar nomes como os americanos Ryan Murphy, Santo Condorelli e Joseph Schooling.

Em março de 2019, ela conquistou a medalha de ouro nos 50 metros peitos da segunda etapa do TYR Pro Swim Series, em Des Moines, Iowa. Jhennifer venceu com o tempo de 30s90. A competição contou com a presença de brasileiros em razão de uma parceria entre o Comitê Olímpico do Brasil (COB) com a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).