MENU

Portal Multiplix

Dia Nacional da MPB: conheça músicos friburguenses inspirados pelo gênero

Música Popular Brasileira se consolidou nos anos 1960 e sobrevive, até hoje, por meio de memórias e de artistas que mantém o legado do gênero musical

Por Luisa Machado
17/10/19 - 11:52
Dia Nacional da MPB: conheça músicos friburguenses inspirados pelo gênero Giovanni Bizzotto e Tatila Krau - músicos friburguenses influenciados por canções da Música Popular Brasileira | Fotos: Reprodução/Redes Sociais

O Dia Nacional da Música Popular Brasileira (MPB) é comemorado nesta quinta-feira, dia 17 de outubro. A data foi criada em 2012, pela então presidente da República, Dilma Rousseff, em homenagem ao nascimento de Chiquinha Gonzaga, que é considerada a primeira compositora da música popular brasileira e difusora de uma das principais manifestações da música brasileira, o choro.

Em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio de Janeiro, o historiador Ricardo Costa explica que a MPB teve origem durante os anos 1960, com influências vindas através do desenvolvimento e da abertura econômica dada pelo presidente no período, Juscelino Kubitscheck.

“Com a abertura econômica da época, vem também a forte influência da cultura norte-americana. No caso da música, há a explosão da bossa nova, que, por sua vez, irá influenciar sobremaneira a produção musical dos anos 60 e 70, na música popular brasileira. Além disso, o final dos anos 50 e início da década de 1960 foram marcados pela ascensão das lutas sociais e políticas no Brasil, com o fortalecimento de entidades que foram protagonistas dos embates históricos do período, incluindo a grande presença de renomados intelectuais e artistas”, relata Ricardo.

O estilo musical, além de emocionar a tantos brasileiros e estrangeiros e levar o nome do país pelo mundo, também foi um forte aliado na luta contra a ditadura militar vivida no Brasil, entre os anos de 1964 e 1985. Nessa época, durante os festivais de música, surgiram os principais nomes da MPB: Chico Buarque, Elis Regina, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Milton Nascimento e tantos outros.

A cantora e compositora friburguense, Tatila Krau, de 25 anos, brilhou, no último mês, ao apresentar a música Tente Outra Vez, de Raul Seixas, no The Voice Brasil, reality show musical da TV Globo. Em entrevista ao Portal Multiplix, a artista conta que a influência da MPB em sua vida chegou há oito anos, quando começou a dar aulas de música e, hoje, confessa ter até algumas composições voltadas para o estilo.

"A MPB é um espelho muito bacana do que nós, brasileiros, construímos durante a nossa história. Ela tem tanto o papel político, de mostrar a realidade, mas também de mostrar as mais diversas belezas que existem no nosso Brasil", diz.

Para Tatila, a MPB ainda vive, e segue forte, apesar das influências de outros gêneros musicais. “A música brasileira ainda vive e existem novos artistas voltados para esse estilo musical, e cabe a nós procurar por eles, já que a mídia, atualmente, tem o interesse maior em estilos como o funk, o pop e o tecnobrega, por exemplo”, comenta a cantora.

Um dos nomes mais reconhecidos da MPB em Nova Friburgo é o de Giovanni Bizzotto, que é cantor, violonista e compositor, e já trabalhou com artistas nacionais como Claudette Soares e Marina Lima. O artista começou a estudar música aos 9 anos de idade e, desde então, compôs para diferentes nomes da música brasileira, já teve sua obra utilizada como trilha sonora de novela e, atualmente, é sócio de um estúdio de música na cidade.

“Para mim, o Brasil tem uma diversidade musical incomparável e a MPB é uma faculdade, e dá a todo músico uma formação muito poderosa. Essa riqueza profunda, ampla e diversa não existe na música de nenhum outro país, apesar de existirem muitos lugares com uma cultura musical riquíssima”, afirma o músico.

Quando perguntado sobre a atualidade da MPB, Giovanni é categórico ao responder. “É um patrimônio cultural brasileiro e, mais que isso, da música universal, devido a sua grande importância. A MPB é uma construção indestrutível, ela jamais vai morrer”, finaliza.