De onde vêm as tradições de usar branco e soltar fogos no Réveillon?

O costume de usar roupa branca veio do Candomblé, enquanto as comemorações com fogos de artifício surgiram na China

Por Sara Schuabb
31/12/18 - 00:05
De onde vêm as tradições de usar branco e soltar fogos no Réveillon? Usar branco, independentemente da crença, tornou-se uma tradição entre os que desejam um ano repleto de paz e boas vibrações | Foto: Banco de Imagem

A virada de ano é uma época cheia de simbolismos e varia de cultura para cultura, com rituais de despedidas, desejos e promessas. Nas praias e no interior do estado do Rio de Janeiro muitas pessoas tornaram-se adeptas do costume de usar branco no Réveillon, independentemente da religião, por representar pureza e purificação.

Essa tradição de vestir-se de branco veio do Candomblé, cujos seguidores sempre usaram roupas brancas para entregar oferendas antes da meia-noite à rainha do mar, Iemanjá – divindade africana originalmente vinda da Nigéria. E foi na década de 1970 que os praticantes dessa religião passaram a comemorar a virada de ano na praia de Copacabana, no Rio, formando um aglomerado branco à beira do mar, acendendo velas e jogando flores para agradecer e fazer pedidos.

Como o ritual tornou-se marcante e muito apreciado na cidade, as pessoas passaram a seguir a tradição de se vestir de branco no Réveillon. Desse modo, atualmente, no Rio de Janeiro, usar branco, independentemente da crença, tornou-se uma tradição entre todos que desejam um ano repleto de paz e boas vibrações.

Fogos

Seguindo a tradição chinesa, começar o ano novo entre fogos de artifício, buzinadas, apitos e gritos de alegria é uma forma de espantar os maus espíritos.

E foi, na década de 1980, que teve início a famosa queima de fogos em Copacabana, no extinto hotel Meridien, de onde foi lançada, do 39º andar, uma cascata de fogos de artifício.  A partir dessa época, outros hotéis, para atrair turistas, passaram a adotar a prática. Mas foi na década de 1990 que a prefeitura do Rio de Janeiro incrementou o espetáculo de fogos, instalando, inclusive, palcos com shows nas areias de Copacabana.