Macuco: a cidade onde não nasce ninguém

O primeiro hospital do município deve ficar pronto em breve e permitir que gestantes deem à luz na cidade

Por Juliana Guzzo
12/06/19 - 12:24
Macuco: a cidade onde não nasce ninguém Instalações da antiga maternidade de Macuco que está sendo transformada em hospital | Foto: Divulgação/Prefeitura de Macuco

A pequena Macuco, na Região Serrana do Rio, tem a menor população do estado, com pouco mais de 5.500 moradores, segundo o censo do IBGE de 2010. O município, que é um dos mais novos do país, emancipou-se de Cordeiro em 1997.

Outro dado curioso é que ninguém nasce na cidade, pelo menos não em partos hospitalares. Sem nenhum hospital ou maternidade, as gestantes de Macuco precisam ir às cidades vizinhas para dar à luz. Então, se você conhece algum macuquense de nascimento, com certeza essa pessoa nasceu em parto domiciliar!

A antiga maternidade de Macuco não realizou nenhum parto no tempo em que funcionou. Transformada em pronto socorro e desativada para obras posteriormente, hoje o prédio vai virar hospital, o primeiro da cidade. Segundo a assessoria da prefeitura, 80% do projeto já está pronto. O prefeito do município, Bruno Boaretto, falou sobre a proximidade da conclusão do projeto.

“As equipes estão trabalhando com toda a agilidade possível para que este hospital seja logo entregue à população. Estou muito feliz, pois depois da luta que travamos em busca deste benefício, hoje estamos vendo o avanço das obras para concretização de um sonho da nossa população. Será uma grande estrutura e um belo hospital. Com isso, vamos garantir um melhor atendimento e mais comodidade para todos nós macuquenses”, afirma o prefeito.

Simulação de como deve ser a fachada do Hospital de MacucoSimulação de como deve ser a fachada do Hospital de Macuco | Imagem: Divulgação/Prefeitura de Macuco

Hoje, a prefeitura do município tem convênio com o hospital da cidade vizinha, Cantagalo. Assim, todas as gestantes que precisam utilizar a rede pública de saúde, têm seus partos realizados lá. Quem utiliza a rede privada, costuma ir para o município de Nova Friburgo, por causa da estrutura da rede hospitalar na cidade.

Em média, Macuco tem registrado 100 nascimentos anuais, desde 2007. Apesar de nascerem em outras cidades, na rede pública ou particular, os nascimentos são contabilizados como sendo de Macuco, através do Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC) que é preenchido pelas maternidades.

Thaiane Campos, moradora de Macuco, teve seu primeiro filho em Cantagalo. Grávida do segundo, ela vai ter o bebê na cidade vizinha novamente. “Na minha primeira gestação não fiz meu pré-natal pelo SUS. O hospital de Cantagalo é o mais próximo, então tive meu filho lá. Hoje estou grávida novamente e, fazendo o pré-natal pelo SUS, vou ter em Cantagalo de novo, porque é onde o município tem o convênio. Não vai dar tempo desse nascer no novo hospital, uma pena. Seria maravilhoso poder ter os meus filhos na cidade onde moro”, conta a gestante.

Durante um mês procuramos alguém mais apressadinho que não tivesse esperado chegar ao hospital do município vizinho para nascer, mas não encontramos um “macuquense de nascimento” para falar com a gente. Se você conhece alguém que nasceu na cidade, conta para gente ou marque esses espécimes raros nas nossas redes sociais, pois queremos conhecê-los!