Portal Multiplix

Manipulação, controle e internet

Por Ricardo Lengruber - 05 de Novembro de 2018, 09:17

Uma vez por ano, uma pequena multidão de pessoas se candidata para a realização do Exame Nacional do Ensino Médio. Em 2018, foram mais de cinco milhões que participaram ontem da primeira prova, com 90 questões de múltipla escolha nas áreas de linguagens e ciências humanas.

Além disso, foi também a oportunidade para a escrita da redação que vale, nada mais nada menos, que a metade dos pontos totais do exame.

O tema proposto neste ano foi “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

Para esse tema, como em todos os anos, foram apresentados textos motivadores. A ideia é que a leitura deles servisse de inspiração para a redação. Por isso, na escola, é tão importante que se valorize a prática permanente da leitura de todos os tipos e estilos de textos.

O primeiro deles, “O gosto na era do algoritmo”, escrito por Daniel Verdu, trata sobre como a filtragem de informação feita pelas redes sociais ou pelos mecanismos de busca pode moldar nossa maneira de pensar e sobre como isso produz uma ilusão de liberdade de escolha.

O segundo, de Pepe Escobar, “A silenciosa ditadura do algoritmo”, aborda como os dados na internet são filtrados e depois analisados por moderadores em empresas localizadas do Oriente Médio ao sul da Ásia, cuja missão é controlar o que deve ser eliminado da rede social. Essa tarefa é realizada por um algoritmo que tem a decisão final. O ponto principal do texto é o fato de estarmos caminhando para um estágio em que é a máquina que decide qual notícia deve ou não deve ser lida.

O terceiro texto é um infográfico disponível no site do IBGE com números percentuais sobre a utilização da internet. Aproximadamente 65% das pessoas com mais de 10 anos de idade usam a rede de computadores no Brasil; entre 70 e 80% dos usuários o fazem para enviar e receber mensagens de correio eletrônico, chamadas de voz ou vídeo, assistir séries e filmes; e 94% utilizam a internet para enviar e receber mensagens do tipo WhatsApp.

O quarto e último texto motivador, “Como a internet influencia secretamente nossas escolhas”, foi escrito por Tom Chatfield e analisa como pequenas mudanças nas informações às quais somos expostos podem transformar nosso comportamento. Sobre como o fato de os sistemas de computador saberem tanto sobre nós interfere nas escolhas que fazemos e em que medida nossas decisões são reações a estímulos invisíveis.

A proposta de redação era para que fosse redigido um texto dissertativo-argumentativo com o tema mencionado acima, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos.

O primeiro aspecto a ser considerado é que a forma como o tema foi redigido poderia promover alguma confusão. Temas adjacentes como fake news, por exemplo, já que são tão abordados ultimamente pela grande mídia, poderiam induzir à fuga do tema. Parece evidente que o central é o conceito de manipulação. Mais do que isso: manipulação do comportamento do usuário. Ou seja, a redação propõe uma reflexão sobre como os seres humanos são suscetíveis à manipulação.

Esse tipo de ponderação seguramente deveria ser tratado sob a ótica dos estudos a respeito de sociologia e de filosofia. Em que sentido o comportamento humano é reação à estímulos internos e em que medida esses estímulos podem ser ideologicamente orientados.

E aqui vale uma pausa para reflexão sobre o quão relevantes são as disciplinas de ciências humanas e sociais na formação acadêmica. Se é verdade que os estudos nas áreas de ciência e tecnologia são imperativos num mundo em permanente evolução e inovação tecnológica, é ainda mais urgente o aprofundamento das reflexões crítico-filosóficas sobre tecnologia, ideologia, manipulação, informação, controle e direitos humanos, por exemplo.

Cabe destacar que a proposta da redação, embora focada no conceito de manipulação, indicava que o assunto deveria ser abordado a partir da lógica de que, no mundo da internet, há uma infinidade de dados circulando e que são passíveis de controle. Dito de outra forma: quem controla e processa as informações é capaz de manipular pessoas e suas decisões.

Três lições ficam claras dessa redação: a) leitura é fundamental - ler tudo sobre tudo e em todos os estilos e veículos; b) filosofia e sociologia são saberes mais que relevantes na era digital, da inteligência artificial e do big-data; e c) ciência e tecnologia são os investimentos que qualquer sociedade que queira estar de pé no século 21 precisa assumir.


O Portal Multiplix não endossa, aprova ou reprova as opiniões e posições expressadas nas colunas. Os textos publicados são de exclusiva responsabilidade de seus autores independentes.