Dia de votação no estado do Rio de Janeiro é marcado por demora e longas filas em muitas sessões

Segundo o TRE-RJ, ineditismo do sistema de biometria ajudou a ampliar a demora para o eleitor votar

Por Redação Multiplix
07/10/18 - 17:43
Dia de votação no estado do Rio de Janeiro é marcado por demora e longas filas em muitas sessões Eleitores enfrentaram longas filas em algumas sessões eleitorais de Nova Friburgo | Foto: Portal Multiplix

A grande novidade das eleições, a identificação biométrica gerou grande dificuldade de identificação e gerou filas de até uma hora na cidade de Nova Friburgo, contrastando com a tranquilidade vista na manhã deste domingo, dia 7 de outubro. Além disso, o problema foi registrado em todo o estado do Rio de Janeiro.

Segundo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ), as filas levaram até uma hora em algumas seções do município, sendo um dos motivos em relação à biometria. No Colégio Nossa das Dores, maior colégio eleitoral do Centro da cidade, com 5.978 eleitores aptos a votar, era um dos locais com longas filas para que os cidadãos friburguenses exercessem seu dever cívico. No Sesi, no bairro Vila Amélia, uma das sessões do local, apresentava uma longa fila e muita espera dos friburguenses.

Em alguns casos, como ocorreu em uma seção no Córrego Dantas, segundo informações de um eleitor,a biometria de algumas pessoas funcionava e a de outras, não. Conforme o relato, para votar quem não fosse identificado pela biometria, era liberado pelos mesários.

Em nota, o TRE-RJ destacou que “em relação às filas nos locais de votação, tal situação, que tem sido verificada em diversos estados do país, deve-se a uma série de razões, entre as quais o fato de que, por se tratar de uma eleição que envolve a digitação dos números de seis candidatos, inclusive de duas vagas para senador, alguns eleitores têm dificuldades para votar, o que causa uma maior demora na votação. Da mesma forma, a identificação biométrica está sendo feita, em todo o estado, para os mais de 2,3 milhões de eleitores cadastrados pela Justiça Eleitoral, bem como para os mais de 4,6 milhões que tiveram seus dados do Detran-RJ aproveitados, o que também pode gerar uma demora maior do que a habitual.

O TRE-RJ reforçou ainda que o aproveitamento dos dados do Detran-RJ, embora no momento da votação possa gerar alguma demora, será positivo para o eleitor, que, tendo sua biometria validada, poderá ser dispensado pelo TSE de comparecimento posterior ao cartório eleitoral para realizar o cadastramento. Além disso, deve-se destacar que o TRE-RJ orienta os mesários de que nenhum eleitor poderá ser impedido de votar por não ter suas digitais reconhecidas. Nesse caso, o mesário deve liberar o acesso à urna do eleitor que se identificou com um documento oficial com foto e esteja apto a votar naquela seção”.

Projeto de Identificação

O Projeto de Identificação Biométrica da Justiça Eleitoral tem por objetivo implantar em âmbito nacional a identificação e verificação biométrica da impressão digital para garantir que o eleitor seja único no cadastro eleitoral e que, ao se apresentar para o exercício do voto, seja o mesmo que se habilitou no alistamento eleitoral.

Em Nova Friburgo e Teresópolis, o cadastramento biométrico não é obrigatório. Caso você tenha realizado o procedimento e o servidor não reconhecer sua digital, o eleitor deverá apresentar ao mesário, para identificação, um documento oficial com foto, que pode ser: carteira de identidade, passaporte, carteira de categoria profissional reconhecida por lei, certificado de reservista, carteira de trabalho, Documento Nacional de Identidade (DNI) ou carteira nacional de habilitação. Vale ressaltar que, o TRE importou dados Departamento do Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ), mesmo que o votante não tenho realizado o cadastro biométrico.

No estado do Rio de Janeiro, 2.319.134 irão votar com biometria. Já 10.089 não realizaram o cadastramento biométrico. Em Nova Friburgo, são14.360 eleitores que votarão através do cadastramento biométrico.