Nova Friburgo terá curso gratuito de linguagem de cinema

Curso pretende aprofundar questões conceituais do cinema nacional e discutir formação de plateia

Por Sara Schuabb
29/03/19 - 10:38
Nova Friburgo terá curso gratuito de linguagem de cinema Durante o curso, haverá exibição de filmes nacionais. O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla (1968) será na terça-feira 30 de abril, às 18h30 | Foto: Reprodução Redes Sociais

Curte cinema e quer se aprofundar na produção audiovisual? Na próxima terça-feira, 02 de abril, começa o curso gratuito sobre Teoria e Linguagem de Cinema, na Usina Cultural, em Nova Friburgo, ministrado pela roteirista e produtora de cinema Renata Spitz. O curso será sobre cinematografia nacional e é uma continuidade do projeto Ações Estruturantes do SerraAção, que aconteceu em 2016.

Os participantes vão conhecer o percurso histórico dos primeiros filmes nacionais, os movimentos como a chanchada, cinema novo, marginal e nomes que até algum tempo atrás ficavam de fora da historiografia clássica, como, por exemplo, o ator e cineasta negro Zózimo Bulbul, que despontou como ator nos anos áureos do Cinema Novo.

Se falamos tanto em valorizar a cultura, o cinema nacional também entra nessa lógica, pois é uma manifestação da nossa identidade. Um ponto que ressalto é que os filmes nos permitem pensar que não temos um Cinema Nacional como conceito fechado. Há vários cinemas no Brasil. Portanto, não se trata de uma identidade forjada e homogênea, ela é diversa assim como nosso povo, explica Renata.

Para dar uma dimensão da produção do cinema nacional, está prevista exibição de filmes que que contextualizam momentos históricos do país. “ Pensar na história do cinema brasileiro é pensar em uma história que muito se perdeu em termos de materialidade. Muito pouco se preservou dos primeiros filmes, se não me engano só temos um filme da Carmen Miranda que sobreviveu. E é algo importantíssimo para entender como isso afeta na criação e consolidação de público, mercado e identidade”, diz Renata.

Outro assunto que entrará em pauta no curso será a discussão sobre a necessidade de formação de plateia no município. “Precisamos engajar os espectadores a consumir filmes brasileiros e uma das formas de fazer isso é promover a exibição, tornar acessível esses filmes que encontram muitas dificuldades para entrar em cartaz no cinema” , complementa Renata.

Para participar, não é necessário inscrição, basta se dirigir ao Serração, que fica na Usina Cultural, situada à Praça Getúlio Vargas, 55 – Centro. Nas duas primeiras semanas o curso acontecerá nas terças e quintas-feiras e depois seguirá somente às terças, sempre às 18h30. Receberão certificado os participantes que tiverem pelo menos 60% de presença.

As exibições de filmes, que acontecem paralelamente, estarão abertas para todos os interessados, respeitando a classificação indicativa, e acontecem no mesmo lugar, sempre às 18:30h, com entrada gratuita.

Programação:

  • 02/04 - Aquarius, de Kleber Mendonça Filho (16 anos)

  • 04/04 - Rio 40 Graus, de Nelson Pereira dos Santos (Livre)

  • 09/04 - O Homem do Sputnik, de Carlos Manga (Livre)

  • 11/04 Os Fuzis, de Ruy Guerra (14 anos)

  • 16/04 Cinema Novo, de Eryk Rocha (Livre)

  • 30/04 O Bandido da Luz Vermelha, de Rogério Sganzerla (16 anos)

  • 07/05 Cabra Marcado para Morrer, de Eduardo Coutinho (12 anos)

  • 14/05 Terra Estrangeira, de Walter Salles (16 anos)

  • 21/05 O Céu de Suely, de Karim Ainouz (16 anos)

  • 28/05 Boi Neon, de Gabriel Mascaro (16 anos)

O polo audiovisual SerrAção é uma iniciativa do Instituto Serrano de Economia Criativa, com apoio da Lei de Incentivo à Cultura da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro.