MENU

Portal Multiplix

Álcool x Gravidez: desenvolvimento do feto pode ser afetado

Abstinência da substância durante a gestação é imprescindível para um período seguro

Por Isadora Jaron
17/02/20 - 15:50
Álcool x Gravidez: desenvolvimento do feto pode ser afetado O consumo de álcool na gravidez pode causar sérios problemas ao feto | Foto: Banco de Imagem

Um estudo feito pela Universidade de Bristol, na Inglaterra, e divulgado em janeiro deste ano, revela que o álcool durante a gravidez pode afetar o desenvolvimento do feto, principalmente na sua formação cerebral. Os pesquisadores analisaram 23 estudos para chegar à conclusão.

Além disso, a ingestão de bebidas alcoólicas durante a gravidez altera o peso ideal do bebê que pode nascer com menos quilos que o ideal, afetando também as habilidades cognitivas durante a vida. Para a ginecologista e obstetra Ana Oliva, o consumo de álcool durante o período gestacional é preocupante.

“O álcool é uma das substâncias que atravessa a placenta livremente. Logo os níveis da substância no sangue do feto são iguais aos da mãe, em aproximadamente duas horas após o consumo. Durante a gestação, pode afetar o desenvolvimento fetal em qualquer estágio”, explicou.

Em 2017 a Universidade de Bristol havia feito outro estudo que afirmava que até dois drinques por semana não afetariam o feto. Essa pesquisa foi contrariada por essa nova de 2020 que diz que é imprescindível a abstinência de álcool durante toda a gestação. O consumo de bebida alcoólica pode até causar a morte do feto.

“Os efeitos do álcool tem grande variedade, sendo os mais graves a morte fetal intrauterina, e a síndrome alcoólica fetal, caracterizada principalmente por defeitos na formação da face e crânio, defeitos estruturais do sistema nervoso central, diminuição do QI, retardo mental e do desenvolvimento em graus variados”, destacou a médica que é especialista em medicina fetal pelo Instituto Nacional da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira / Fiocruz.

Já aqui no Brasil, a Sociedade Brasileira de Pediatria é contra o consumo de álcool até para mulheres que estejam tentando engravidar. Uma pesquisa feita pela associação mostra que 50% das brasileiras consomem pelo menos alguma dose de álcool durante a gestação. A SPB também orienta zero consumo de álcool durante a amamentação.

“Devemos ressaltar que não existe determinação de dose segura na gestação e que as consequências não são dose-dependentes sendo orientado a abstinência durante todo o período gestacional. Aí a importância do pré-natal, pois estima-se que 87% das mulheres, quando orientadas, cessam o uso de álcool para o benefício do bebê e 6,6% diminuem o consumo”, enalteceu.

Ainda de acordo com a médica, fatores desconhecidos que estão ligados ao consumo de álcool na gestação são: baixo nível socioeconômico, tabagismo, desemprego, uso de drogas ilícitas, história de abuso sexual ou físico ou emocional/psicológico ou negligência, ter parceiro ou familiar próximo que seja alcoólatra, assim como estresse emocional ou ter doença mental.


É proibida a reprodução total ou parcial dos conteúdos do Portal Multiplix, por qualquer meio, salvo prévia autorização por escrito.