Remando em busca de aventuras? Conheça a Canoa Havaiana

Esporte oriundo da Polinésia vem conquistado praticantes em todo o Brasil. Conheça as regras e polos da modalidade

Por Matheus Oliveira
21/01/19 - 15:45
Remando em busca de aventuras? Conheça a Canoa Havaiana A Canoa Havaiana é um esporte que chegou ao Brasil no começo dos anos 2000 | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Navegar em águas distantes, com belas paisagens, ter contato com a natureza e ainda melhorar seu condicionamento físico. Assim podemos definir a Canoa Havaiana, esporte que vem tomando o litoral do Brasil, trazendo inúmeros benefícios para a saúde e gerando qualidade de vida para seus praticantes.

O esporte surgiu na Polinésia, que é um conjunto de ilhas no Oceano Pacífico entre Austrália e Estados Unidos, incluindo Hawaii e Taiti. A modalidade também é chamada de Canoa Polinésia ou Va’a e existe há mais de 3.000 mil anos, sendo que os povos polinésios a utilizavam como meio de transporte.

A canoa havaiana chegou ao Brasil no final do ano 2000, em Santos, como a primeira canoa importada dos Estados Unidos e batizada de Lanakila. Outra cidade que possui polos de canoa havaiana é Niterói, na Região Metropolitana do Rio. A cidade possui 10 dos 30 clubes inscritos na Federação Carioca da modalidade, com clubes como o Itaipu Surf Hoe e Mauna Loa. Na cidade do Rio de Janeiro, as praias do Flamengo e da Urca também são polos para a prática da modalidade.

A remadora niteroiense Luiza Perin, começou a remar em 2005, na primeira canoa que chegou na cidade da Região Metropolitana e se apaixonou pela modalidade, integrando a equipe do Itaipu Surf Hoe. Ela cita alguns dos benefícios que a prática da modalidade traz para seus adeptos.

“A prática da canoa havaiana só traz benefícios, assim como a prática de qualquer modalidade. Todos os esportes só trazem coisas positivas, pois sempre temos um ganho em nossa vida. O que penso que a Canoa Havaiana tem de especial é o contato com a natureza. Normalmente se pratica a modalidade sempre de manhã bem cedo, então é um momento muito gostoso de estar exposto ao sol e eu costumo dizer que é uma absorção de saúde e vitamina D. Muita gente encontra na canoagem uma satisfação pessoal muito intensa na relação com as pessoas e com a natureza. Fora o aspecto da melhora na saúde e do ganho na qualidade de vida”, diz, listando ainda os riscos e a necessidade de segurança para ser um remador de canoa havaiana:

“Os riscos são mínimos se praticado com segurança, com um clube sério e responsável, pois se não for abordado com segurança, possui os riscos inerentes de um esporte praticado na natureza, no mar. Riscos ambientais como mau tempo, muito vento, mar grande, as condições que podem levar o remador para fora da costa ou fazer a canoa virar. Todos esses riscos são controlados quando a modalidade é praticada com segurança”, revela.

 Itaipu Surf Hoe, equipe de Luiza Perin, está sempre realizando expedições de Canoa Havaiana Itaipu Surf Hoe, equipe de Luiza Perin, está sempre realizando expedições de Canoa Havaiana | Foto: Reprodução/Redes Sociais

As canoas possuem cerca de 14 metros e 50 centímetros de largura, com 3 partes em comum: o casco, chamado Hull, o flutuador lateral, que é denominado de Ama e os braços que ligam a canoa ao flutuador, conhecidos como Iakos.

Por sua vez, as canoas “As V6” têm formato diferente das OC6, assim como a OC6 é diferente das OC6 Unlimited, maiores e com mais volume. Quem deseja começar a praticar o esporte deve procurar um clube com profissionais capacitados.

A remadora destacou ainda que a modalidade, por sua história, vai muito além da competição e pode ser praticada de maneira lúdica.

“A Canoa é muito praticada de forma lúdica e recreativa, com fins de lazer. Aqui na Itaipu Surf Hoe temos uma turma infantil duas vezes por semana, com crianças de 7 a 14 anos, trabalhando questões interessantes sobre o trabalho em equipe, remar para frente e as responsabilidades. Isso envolve as decisões internas de uma criança em seu convívio social, gerando uma transformação. Existe um paralelo entre a forma como você encara a vida e o esporte. O esporte é muito mais que competição, pois se origina de uma cultura muito antiga, a cultura polinésia originária no Oceano Pacífico e a competição é um braço da modalidade e importante para reunir adeptos e divulgar a canoa havaiana”, afirma.

Formação

Nas canoas, com 6 lugares, cada remador da equipe possui uma função:

  • Remador 1: fica na parte dianteira da canoa, ditando o ritmo das remadas;

  • Remador 2: fica do lado oposto ao primeiro remador da canoa. Este integrante dita a frequência das remadas a serem feitas pelos remadores das posições 4 e 6;

  • Remador 3: Conta para que ocorra a troca de lado na hora da remada. Em média, são 20 remadas para cada lado;

  • Remador 4: vigia o Iako, para não haver oscilação de equilíbrio;

  • Remador 5: tem função de esgotar a água dentro da canoa, quando necessário;

  • Remador 6: O líder da equipe e função mais importante, dirigindo a canoa através do leme.