Secretário de Meio Ambiente e Defesa Civil detalha situação de Teresópolis para enfrentar chuvas

Flávio Castro assumiu a secretaria no começo deste mês e revelou que medidas pretende tomar para evitar danos causados por tempestades

Por Matheus Oliveira - 12 de Fevereiro de 2019, 12:46
Secretário de Meio Ambiente e Defesa Civil detalha situação de Teresópolis para enfrentar chuvas Flávio Castro afirma que Teresópolis tem um plano de contingência para chuvas, mas precisa melhorar para se tornar segura | Foto: Divulgação/Jorge Maravilha (Prefeitura de Teresópolis)

O coronel bombeiro Flávio Castro, formado em Arquitetura, é, desde o começo deste mês, o secretário municipal de Meio Ambiente e Defesa Civil de Teresópolis. Ele assume com a missão de trabalhar para reduzir as áreas de risco e evitar problemas com as chuvas de verão que costumam castigar a Região Serrana do Rio.

O militar já ocupou a pasta entre 2009 e 2010 e chega cedido pelo Governo do Estado. Ele foi convidado pelo Prefeito Vinicius Claussen para o Meio Ambiente e Defesa Civil no início da gestão, mas não pôde assumir por ocupar o cargo de subcomandante do Corpo de Bombeiros. Agora, liberado, aceitou o convite. Flávio revelou como encontrou as pastas e quais as primeiras ações está tomando ao assumir a secretaria.

“Estamos atualizando o Plano Municipal de Redução de Risco. Após, teremos uma noção exata de quantas pessoas estão morando em área de risco no município. Mas, por empirismo, sabemos que o cenário não é bom.”, afirma.

“Aceitei o desafio porque acho que é possível trabalhar para melhorar a vida da coletividade com um pouco de sacrifício de cada um de nós. Sempre fui funcionário público e tenho um pouco de experiência de gestão. Acho que posso contribuir.”, destaca.

O secretário ainda detalhou quais medidas pretende adotar para melhorar a efetividade desses serviços e diminuir potenciais danos: “planejar (aperfeiçoar os planos), treinar (equipes da prefeitura e as comunidades) e realocar quem mora em área de risco. Não tem como fugir dessas linhas.”, declara.

Por fim, destacou que a cidade possui um plano de contingência, caso Teresópolis sofra com deslizamentos e emergências em razão das chuvas, mas que a cidade ainda tem muito a evoluir para se tornar segura.

“Temos um plano de contingência. Temos muito que melhorar para tornar a cidade segura. Algumas ações que estão sendo tomadas minimizam o impacto, mas temos muito a fazer para tornar a cidade sem risco.”, conclui.

Flávio Castro comandou o 16º Grupamento de Bombeiro Militar entre 2011 a 2014, chefiou o gabinete da Secretaria de Estado de Defesa Civil em 2014, foi titular do Comando do Bombeiro da área serrana em 2015 e, até novembro de 2018 ocupava o cargo de subcomandante-geral e chefe do estado-maior geral do Corpo de Bombeiros Militar do estado do Rio de Janeiro.