Novo comandante do 11º Batalhão assume com indicadores de violência em alta

Veja os números da segurança pública de Nova Friburgo e região nos últimos dois anos

Por Matheus Oliveira - 23 de Janeiro de 2019, 12:01
Novo comandante do 11º Batalhão assume com indicadores de violência em alta O 11º Batalhão de Polícia Militar terá um novo comandante a partir desta quarta | Foto: Amanda Tinoco/Arquivo

A cidade de Nova Friburgo e municípios da área de cobertura do 11º Batalhão de Polícia Militar (Cantagalo, Duas Barras, Cordeiro, Macuco, Trajano, Madalena e Bom Jardim) terão, a partir desta quarta-feira, dia 23 de janeiro, um novo comandante após o secretário estadual da PM, coronel Rogério Figueiredo, mudar o comando de todos os batalhões do território fluminense. Na cidade serrana, o tenente-coronel Paulo Roberto das Neves Junior substituirá o atual líder da corporação, Eduardo Vaz Castelano, que será remanejado para o norte do estado. O antigo comandante ficou cerca de dois anos à frente da corporação e assumiu no auge da crise fiscal do estado. Castelano também esteve à frente do batalhão durante o período de intervenção federal na segurança pública do Rio. O Portal Multiplix fez um levantamento dos índices da criminalidade em Nova Friburgo e região após a última gestão.

Analisando dados do Instituto de Segurança Pública - ISP, os dados apontam que as principais categorias de crime nos municípios onde o 11º BPM atua aumentaram de 2017 para 2018. Para se ter uma ideia, os indicadores estratégicos tiveram crescimento significativo. A letalidade violenta - somatório do número de vítimas de homicídios dolosos, lesões corporais seguida de morte, latrocínio e autos de resistência - teve o registro de 24 casos em 2017 e 35 em 2018, um aumento de 45,8% de um ano para outro.

Já os roubos de rua - somatório de incidências de roubo a transeunte, roubo em coletivo e roubo de aparelho celular - teve 42 casos a mais entre as temporadas analisadas. Em 2017 foram 129 registros enquanto em 2018 foram 171. Uma variação de 32,6%. Os roubos de veículo. Os casos de roubo de veículo saltaram de 17 para 22, enquanto homicídios no trânsito houve três casos a mais em 2018 que no ano anterior.

Registros de letalidade violenta, roubo de rua e roubos de veículo

- Letalidade violenta – 2017 - 24 / 2018 – 35

Aumento de 45,8%

- Letalidade violenta – 2017 – 129 / 2018 – 171

Aumento de 32,6%

- Roubo de veículo – 2017 – 17 / 2018 – 22

Aumento de 29,4%

Os casos de homicídio doloso foram de 22 para 29 registrados entre os dois últimos anos, um aumento de 31,8%.

As tentativas de homicídio quase dobraram na área de atuação do 11º BPM, passando de 46 em 2017 para 84 no ano passado, um aumento de 82,4%. Os casos de pessoas desaparecidas (54 para 73) e estelionato – 341 em 2017 para 447 em 2018 - também subiram.

Registros de pessoas desaparecidas, homicídio doloso, homicídio Culposo (trânsito) e estelionato

- Homicídio doloso – 2017- 22 / 2018 – 29

Aumento de 31,8%

- Homicídio culposo (Trânsito) – 2017 – 46 / 2018 - 84

Aumento de 82,4%

- Pessoas desaparecidas – 2017 – 54 / 2018 – 73

Aumento de 35,2%

- Estelionato – 2017- 341 / 2018 - 447

Aumento de 31,1%

Por sua vez, alguns indicadores também diminuíram, como os casos registrados de estupro, que em 2017 foram 103 e caíram para 91 em 2018, uma diminuição de 11,7%. Os registros de furto de aparelho celular tiveram uma diminuição, saindo de 234 há dois anos para 181 em 2018. Os roubos a residência foram de 19 para 14 entre os últimos dois anos.

Conforme noticiado pelo Portal Multiplix, na madrugada da última quinta-feira, dia 17 de janeiro, suspeitos tentaram assaltar um supermercado na RJ-148, na altura do conjunto habitacional Terra Nova, terminando com um saldo de dois feridos, dois fugitivos e um morto.

Apesar deste caso de grande repercussão, na área de cobertura do 11º Batalhão de Polícia Militar (BPM), foram 30 roubos a estabelecimentos comerciais em 2017, enquanto em 2018, foram 18 ocorrências deste tipo, uma diminuição de 40%.

Registros que diminuíram – Estupro, furtos de aparelho celular

- Estupro – 2017 – 103 / 2018 - 91

Diminuição de 11,7%

- Roubo a residência – 2017 – 19 / 2018 – 14

Diminuição de 26,3%

- Roubo a estabelecimento – 2017 – 30 / 2018 - 18

Diminuição de 40%

- Furtos de aparelho celular - 2017 – 234 / 2018 – 181

Diminuição de 22,6%