MENU

Portal Multiplix

Você sabe o que é um podcast? Formato de mídia é febre entre friburguenses

Conheça o Lajecast, programa voltado para o entretenimento que é produzido inteiramente em Nova Friburgo e possui ouvintes até fora do país

Por Luisa Machado
09/08/19 - 09:00
Você sabe o que é um podcast? Formato de mídia é febre entre friburguenses Formato de mídia é baseado no compartilhamento de programas de áudio | Foto: Banco de Imagem

Sabrinnah Leardini tem 25 anos, é publicitária e, durante diversos momentos do dia, dedica-se a ouvir podcasts. Ela ouve no trabalho, na rua e até durante uma faxina, em casa. Para ela, os podcasts são uma forma diferente de consumir informação.

“Quando você vai ler um livro, por exemplo, você precisa usar quase todos os seus sentidos para conseguir manter sua atenção naquele conteúdo. O mesmo vale para os filmes, você precisa assistir o episódio, precisa ouvir a narrativa. Com o podcast, você consome aquele conteúdo só usando a audição, e pode fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo”, diz.

Mas você sabe exatamente o que são podcasts? Para Camilla Athayde, que é professora universitária do curso de comunicação social da Universidade Estácio de Sá, em Nova Friburgo, esse formato de mídia tem ganhado cada vez mais espaço no meio da comunicação, e isso acontece porque o podcast disponibiliza ao ouvinte um conteúdo diferenciado e personalizado, além de ser de fácil acesso.

“Podcasts são conteúdos, primordialmente de áudio, disponibilizados pela internet. Eles possuem um grande diferencial em que o ouvinte pode escolher o conteúdo que deseja, não tendo que, obrigatoriamente, ouvir toda a programação”, afirma.

Além de ser uma mídia gratuita, disponibilizada na internet, podcasts oferecem a possibilidade de serem ouvidos de qualquer lugar, seja enquanto o ouvinte anda na rua, no ônibus ou no trabalho.

Em pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Podcasters, no Brasil, mais de 1.400 pessoas produzem e disponibilizam seus programas de áudio em algum tipo de plataforma online.

É o caso dos jornalistas Anaísis Dias, Eugênio Gomes, João Guilherme Xavier e Ludmyla Peixoto, de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio de Janeiro. Toda semana eles se encontram para colocar o papo em dia e conversam sobre política, filmes, músicas, sexo, expectativas para a vida e, o melhor, falam para que todos possam ouvir. Os quatro são criadores do Lajecast, um podcast sobre entretenimento, cultura pop e assuntos que estão em alta nas redes sociais.

Para Ludmyla, apresentadora do Lajecast, a experiência prévia de toda a equipe no ramo da comunicação social e a liberdade para a produção de um conteúdo diferenciado foram os principais motivos pelos quais optaram pela criação do programa.

“Todos nós somos jornalistas completamente apaixonados pelo audiovisual. Dividimos todos os anseios, sonhos, expectativas e realizações durante os quatro anos que estudamos juntos na universidade. Hoje, além de colegas de profissão, somos grandes amigos. Gostamos de produzir conteúdo, mas, infelizmente, é um segmento difícil, principalmente em uma cidade do interior. Sempre tivemos muita sintonia, intimidade e nossas conversas sempre deram muito enredo. Fizemos uma reunião e decidimos criar o Lajecast, um podcast na laje”, conta.

Os quatro jornalistas de Nova Friburgo uniram-se para a criação do LajecastOs quatro jornalistas de Nova Friburgo uniram-se para a criação do Lajecast | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Com a proposta de ser um programa feito por jovens e voltado para jovens, Anaísis Dias, que também é apresentadora do Lajecast, conta que, para a equipe, ainda existe uma longa trajetória, mas que as recompensas valem a espera.

“Todo ano a gente fala que é o ano do podcast e a tendência é crescer cada vez mais. Nós ainda somos pequenos, os maiores podcasts do país têm 1 milhão de ouvintes por semana, esse é um número gigante! Já conseguimos boas surpresas, pois vencemos as barreiras montanhosas do interior e temos conquistado ouvintes de outros estados como São Paulo e Bahia, além de ouvintes brasileiros que moram em outros países (França e Nova Zelândia)”, conclui Anaísis.