Governo Federal contrai empréstimo de 600 milhões de dólares para investir em Inovação

Acordo com o BID foi oficializado na última quarta, 1º, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Por Matheus Oliveira
02/08/18 - 16:31
Governo Federal contrai empréstimo de 600 milhões de dólares para investir em Inovação Ministro Gilberto Kassab destacou a importância do empréstimo junto ao banco de fomento. | Foto: Divulgação / Redes Sociais

O Governo Federal, através do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, contraiu um empréstimo no valor de 600 milhões de dólares, junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para financiar projetos de inovação nas áreas tecnológicas e científica, na última quarta-feira, dia 1º de agosto, no Palácio do Planalto, em Brasília, durante a reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT).

Os contratos foram assinados entre o BID e a Financiadora de Estados e Projetos (Finep), que gerencia os recursos e dará uma contrapartida de 103,6 milhões de dólares. A União será a avalista do negócio.

“Uma das etapas dessa reunião foi a assinatura do contrato da Finep com o BID, com aval do governo brasileiro, US$ 1,5 bilhão. [...] Todos esses recursos serão disponibilizados para políticas públicas, para pesquisas no campo da ciência e da inovação”, explicou Kassab em entrevista ao final da solenidade”, explicou Gilberto Kassab, Ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Os recursos do empréstimo irão para a área de Inovação, divididos entres os setores:

  • Químico

  • Mineração

  • Biotecnologia

  • Tecnologia de informação e comunicações

  • Metal mecânica

  • Saúde

O secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério de Ciência e Tecnologia, Álvaro Prata, explicou que os interessados em captar verba para seus projetos deverão participar de editais. Segundo a Finep, a linha de crédito dá cinco anos e meio de carência e 25 anos para o pagamento do empréstimo.

“Na medida em que esses recursos [a parcela de US$ 600 milhões] forem sendo utilizados, virá o restante, que totaliza US$ 1,5 bilhão. Estamos falando de recursos que se aproximam de R$ 6 bilhões”, contou.