Portal Multiplix

Aposentado que segue trabalhando pode fazer retirada do FGTS mensalmente

Serviço pode ser agendado e sacado na Caixa. O trabalhador que não está com emprego formal também poderá recolher o benefício acumulado

Por Matheus Oliveira - 05 de Setembro de 2018, 12:25
Aposentado que segue trabalhando pode fazer retirada do FGTS mensalmente Foto: Amanda Tinoco/Arquivo

Quem se aposentou pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) poderá recolher o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) acumulado em toda a sua vida, assim como o trabalhador aposentado e que segue trabalhando na mesma empresa poderá retirar mensalmente o benefício.

O trabalhador que desejar realizar o saque mensal poderá se dirigir à qualquer agência da Caixa Econômica Federal e terá o direito, inclusive, de agendar o dia em que fará a retirada. Assim, o dinheiro será transferido para a conta indicada pelo segurador, seja do banco estatal ou de outra instituição financeira.

Segundo a Caixa, que administra o fundo, quem se aposentou por uma firma e foi trabalhar em outra, não terá direito a retirar o seguro. Desta maneira, o segurador deverá seguir as mesmas regras de quem ainda está no mercado de trabalho e receber o valor do fundo para financiar casa própria, tiver doença grave ou ter sido demitido sem justa causa.

O saque do FGTS poderá ser realizado nos caixas eletrônicos da Caixa e nas casas lotéricas com o Cartão Cidadão para valores de até R$ 3 mil. Já para quem possui valores de até R$1,5 mil, o saque deverá ser feito nos caixas com a senha do Cartão Cidadão (sem a necessidade do cartão) e o número do PIS. O trabalhador também pode ir aos caixas físicos do banco estatal com o número do PIS, NIS ou NIT e um documento oficial com foto.

O FGTS corresponde a 8% do valor bruto do salário do trabalhador formal, sendo descontado a cada dia 7 do mês subsequente ao trabalhado. Um exemplo: se o funcionário ganha R$ 1.000,00, ele terá R$80,00 recolhidos pela empresa. O beneficiário poderá também aguardar um ano para retirar o FGTS. A Caixa informou ainda que que o fundo é corrigido com 3% de juros ao ano, além da variação da Taxa Referencial, que corresponde a remuneração que fica abaixo do rendimento da poupança. O governo vem pagando um rendimento a mais aos trabalhadores com metade do lucro do FGTS.